UDN inicia cruzada pela liberdade de expressão

25 de julho de 2012

BONS TEMPOS: A Cruzada da UDN quer trazer de volta os bons tempos em que a sua liberdade de expressar-se à vontade não era ameaçada.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, anda muito preocupado com os repetidos ataques à liberdade de expressão.

O Presidente de Nascença decidiu, então, criar uma nova mobilização nacional: a Cruzada Unificada pela Liberdade Verdadeira de Expressão.

Diligente, convocou uma reunião do alto comando da UDN para organizar a empreitada. Na reunião, realizada no Retiro do Udenista (Caverna do Ostracismo, fundos, Higienópolis), os dirigentes da honrada agremiação política traçaram uma estratégia vencedora, limpa e democrática, como tudo o que a UDN faz.

CHOQUE: As denúncias terríveis do pres. Zezinho atingiram as profundas convicções democráticas da direção da UDN.

O Almirante do Tietê exigiu um posicionamento firme da UDN contra o terrível cerceamento de sua liberdade de ser o único a poder ter sua opinião vinculada na imprensa falada, escrita, televisada e internetizada. Com a ira dos justos, urrava de indignação ao referir-se a jornalistas e a blogueiros imundos que se recusavam a livremente difundir a expressão das vontades e opiniões do Maior dos Brasileiros e, pior, davam espaço a opiniões contrárias.

O presidente da UDN tem grandeza moral, construída duramente na Comissão de Orçamento do Congresso.

Sensibilizado, o presidente da UDN, Sr. Sergio Dunga, agiu imediatamente. Preparou uma cartinha exigindo imediatas providências e enviou para a Dra. Pamonha (UDN-Piracicaba), líder da bancada da UDN na Justiça Eleitoral.

Na representação, o Sr. Sergio Dunga e o pres. Zezinho reclamam que a publicidade governamental está sendo usada contra a liberdade de expressão, pois seus recursos têm sido direcionados a veículos de comunicação que não tem compromisso nenhum com a verdade e com a democracia, como:

a) uma editora de revistas que é associada a um gângster goiano que costumava forjar escândalos contra autoridades da república, e que tem entre seus acionistas um grupo empresarial sul-africano vinculado ao regime do apartheid;

b) um jornal que emprestava seus carros para ações repressivas e assassinato de opositores durante a ditadura;

c) um canal de televisão que costuma manipular debates eleitorais e veicular notícias falsas baseadas em perícias mentirosas;

d) blogues nazistas mantidos por jornalistas de programa vinculados a essas organizações criminosas, e que fazem um troço vagamente parecido com jornalismo e nada parecido com a verdade.

O Twitter adotou um novo símbolo, em homenagem à sua parceria com o pres. Zezinho.

Internet

Outra frente de luta importante na Cruzada é a internet. O pres. Zezinho pediu ajuda a seus amigos da Disneylândia para ajudarem a fazer com que as redes sociais tornem-se espaço para a liberdade de expressão das opiniões favoráveis ao Maior dos Filhos da Mooca.

A Disneylândia, preocupada em manter o apoio do pres. Zezinho ao Acordo Caracu EUA-Brasil, no qual o Brasil dará a retaguarda aos EUA, mandou um importante executivo de uma rede social para discutir com o Presidente de Nascença a nova forma de funcionamento da rede.

Como sinal de sua cordialidade e disposição para ajudar, o executivo presenteou o pres. Zezinho com uma bela senha-mestra para selecionar os conteúdos mais adequados a aparecerem dentro da liberdade de expressão da rede.

Apoio aos jornalistas

Sempre comprometido com a liberdade de expressão, o Mais Democrata dos Homens Públicos não esqueceu os jornalistas. Depois de repassar a lista de demissões a se realizarem nos órgãos de imprensa nos próximos dias, o pres. Zezinho deu ordens a seus assessores que implementassem um programa especial de capacitação de jornalistas para o exercício da liberdade de expressão.

RESPEITO À DIFERENÇA DE OPINIÃO: O grande líder da ala de limpeza étnico-social da UDN, Sr. Slobodan Mataratos, é um grande defensor da liberdade de expressão.

Ontem, mesmo, um dos seguranças do Grande Pai da Democracia deu uma comovente aula de democracia a um jornalista da Rádio Jovem Pan. A despeito da empolgação do segurança-professor, o jornalista está se recuperando e passa bem.

A UDN também pretende, como parte de sua Cruzada, exigir uma moralização da Polícia Federal, que tem cometido um sem-fim de abusos contra a liberdade de expressão dos udenistas.

ATAQUE À LIBERDADE: A PF prendeu injustamente o mais importante editor da Revista Mais Vendida do Brasil, e agora a UDN não consegue mais expressar livremente seu respeito à verdade e apego à democracia.

Graças à perseguição levada a cabo contra um importante empresário atuante no ramo dos jogos proibidos, tráfico de influência, chantagem, corrupção ativa e espionagem ilegal, a imprensa tem sido privada de relevantes matérias jornalístico-ficcionais que permitiam ao pres. Zezinho e seus admiradores expressarem-se livremente.

O pres. Zezinho determinou ao seu bhost-righter, Sr. Reinaldinho Cabeção, que saísse de sua toca fétida junto ao Rio Pinheiros para liderar uma manifestação de eleitores infantis paulistas pela liberdade de expressão. A passeata, em frente ao Shopping Higienópolis, também assumirá a defesa do direito da Revista Mais Vendida do Brasil de quebrar os sigilos bancários, telefônicos, fiscais e de confessionário de todos os lulopetistas pois, segundo pesquisa do Instituto Datafrias, 101% dessa raça é corrupta.

Alerta máximo

A Cruzada exige dos udenistas atenção total, pois os inimigos da liberdade de expressão estão por toda parte e são capazes de infiltrarem-se até mesmo em inofensivas barracas de pastel de feira.

AMEAÇA: O Pres. Zezinho denunciou que os petistas estão organizando uma tropa nazista de viciados em pastel para empastelar o site da campanha do pres. Zezinho.

Foi o que ocorreu na semana passada em uma feira-livre do bairro de Vila Romana, na Gloriosa Paulicéia.

Uma equipe a serviço da campanha-treino já vitoriosa do pres. Zezinho gravava um comercial com populares devidamente contratados e alimentados com pamonha (vinda especialmente de Brasília). Os populares exerciam disciplinadamente a liberdade de comentarem as inúmeras virtudes do pres. Zezinho, quando foram atrapalhados por viciados em pastel que reclamavam porque a estrutura montada para a gravação impedia o acesso à barraca que vendia a autoritária iguaria.

O Maior dos Brasileiros já decidiu que, ao assumir a prefeitura provisoriamente em 2013, irá proibir a produção e consumo de pastéis em toda a cidade, pois está provado que pastel é uma ameaça à liberdade de expressão.

Perigo

Apesar da nobreza das intenções do Maior de Todos os Homens Públicos, há vozes dissonantes no seio da UDN. Dos caudalosos esgotos da Caverna do Ostracismo tem escorrido, secretamente, uma outra versão.

Segundo fontes ligadas à seção mineira da UDN, o pres. Zezinho estaria desfechando a Cruzada por razões outras que não a liberdade de expressão.

Esses udenistas renegados afirmam que a verdadeira preocupação do Pilar da Democracia é o risco de o seu assessor para assuntos propinoviários, Sr. Paulo Caixa Preta Dois, não conseguir segurar o vazamento e, com isso, fazer a casa do pres. Zezinho cair.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: O Sr. Reinaldinho Cabeção animou a quadrilha da festa junina que a UDN fez para comemorar o lançamento da cruzada.

A brincadeira preferida do Zezinho sempre foi vaca amarela. Ele costumava mandar o Reinaldinho Cabeção ir pegar um barril de bosta de vaca na chácara do seu Joaquim, um senhor português que tinha uma vaquinha, a formosa, e andava com ela pela rua, vendendo leite. Aí o Zezinho juntava a molecada e falava “vaca amarela cagou na panela quem falar primeiro come toda a bosta dela”. Os moleques calavam a boca, mas o Zezinho continuava falando, porque a vaca amarela não valia pra ele. E ele ficava puxando conversa com os moleques, provocando, xingando, até que um não aguentava e acabava abrindo a boca. Pronto, o Zezinho junto com os outros obrigava o moleque a comer a bosta de vaca. Sempre terminava em briga e quem não voltava machucado pra casa, apanhava da mãe porque chegava sujo de cocô de vaca…


Pres. Zezinho lança candidatura de Reinaldinho Cabeção

5 de janeiro de 2011

Desde crianças, o pres. Zezinho e o sr. Reinaldinho Cabeção gostam de trocar de lugar.

Como grande líder que é, o Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, sabe que não basta ser o maior, é preciso ter reservas de alto nível.

Por isso, o Presidente de Nascença resolveu preparar um grande quadro político à altura de seu eleitorado para substituí-lo nos intervalos entre um par de mandatos e outro.

Entendendo que o sr. Reinaidinho Cabeção tem um talento inato para a retórica política e opiniões sempre corretas e idênticas às suas, o Maior dos Filhos da Mooca determinou que o prestigioso homem das 50 mil letras fosse preparado para a honrosa missão.

Para preparar o sr. Reinaldinho Cabeção, a UDN montou uma escola de formação política (na foto, aula de ética com a ex-cleptogovernadora Ymelda Cruzes).

A UDN decidiu, então, preparar o sr. Reinaldinho Cabeção para a sucessão do Mais Competente dos Homens Públicos, em 2022. Até lá, o honestíssimo jornalista de programa deverá ganhar experiência disputa ocupando cargos menores que lhe darão o devido traquejo, segundo informa o site do Prof. Hariovaldo de Almeida Prado (UDN-FL).

O cronograma acertado é o seguinte:
2011: vice-presidente da UDN (na chapa encabeçada pelo Cachorro-Lagosta);
2012: vereador na cidade paulista de Dois Corgo;
2014: senador por S. Paulo;
2018: governador de S. Paulo, sucedendo Geraldinho do Vale;
2022: presidente da república, sucedendo o Presidente de Nascença;
2026: senador, novamente, para que o Presidente de Nascença volte ao seu lugar de direito;
2034: presidente da república, para manter o lugar quentinho para o Presidente de Nascença;
2038: senador, mais uma vez, para que o Presidente de Nascença volte à sua condição natural;
2050: a ser definido na ocasição pelo Presidente de Nascença.

Repercussão

O pitta de estimação do pres. Zezinho usou seus contratos para pedir para uma importante multinacional patrocinar o banquete.

A nova decisão do pres. Zezinho foi muito bem recebida pelas principais lideranças da UDN.

O ex-sábio FHC promoveu um jantar em homenagem ao novo grande representante do Povo Eleito Bandeirante, no refeitório da Caverna do Ostracismo.  A entusiasmada platéia manteve-se acordada nos primeiros dez minutos de seu magistral discurso. Tendo como entrada canja de galinha e prato principal papinha de mandioquinha e batata, o convescote foi um sucesso. O  filósofo Heráclito de Éfeso (PFL-PI) era um dos mais empolgados, e comeu a papinha dele e a de vários moradores que estavam com constipação intestinal.


A srta. Soninha Copélia ficou emburrada: "Não sei o que Zezinho viu naquele cabeção".

Na imprensa, a decisão do Ungido da Barão de Limeira teve a melhor acolhida possível. Os jornalistas de programa em peso publicaram notas elogiosas em suas quinta-colunas a serviço da Pátria.

A Revista Mais Vendida do Brasil deverá lançar uma edição comemorativa, inteiramente dedicada ao sr. Reinaldinho Cabeção.

Os repórteres de aluguel da Av. Marginal Serra trabalham a todo o vapor, pois o importante periódico também lançará uma edição especialmente voltada aos eleitores infantis paulistas, explicando as idéias do sr. Reinaldinho Cabeção em frases simples,  desenhos coloridos e infográficos.

A nota triste do evento foi o comportamento da ciclonudista Soninha Copélia, que, visivelmente alterada, tirou a roupa e recusou-se a participar do brinde que homenageou o sr. Reinaldinho Cabeção, falando para quem quisesse ouvir: “O que ele tem que eu não tenho? O que ele faz que eu não faço melhor?”

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN fez uma bela festa junina para comemorar a candidatura de Reinaldinho Cabeção a vereador em Dois Corgo.

QUADRILHA: UDN fez uma bela festa junina para comemorar a candidatura de Reinaldinho Cabeção a vereador em Dois Corgo.

O Zezinho sempre gostou de colocar o Reinaldinho Cabeção para trocar de lugar com ele. Uma vez, quando estavam no ginásio, tinha eleição para monitor da classe, mas ninguém queria votar no Zezinho. Como ele sabia que ia perder, falou para o Reinaldinho Cabeção: “Vamos trocar: você sai candidato.” O Reinaldinho Cabeção não entendeu, e o Zezinho explicou: “Vamos fingir que brigamos, você sai candidato, e quando você ganhar, faz tudo o que eu mandar”. Quando teve a eleição, o Reinaldinho Cabeção perdeu por um voto. O outro menino candidato teve um voto a mais que ele e o Zezinho teve um voto. O Zezinho ficou muito bravo e falou com o Reinaldinho Cabeção: “Quem foi o idiota que votou em mim? Eu nem era candidato! Acabou com o nosso plano!”. Aí o Reinaldinho Cabeção, todo sem jeito, falou: “Fui eu quem votou em você Zezinho. Sabe o que é? Na hora, não consegui me controlar e escrevi seu nome na cédula.” O Zezinho deu uns croques na cabeça do Reinaldinho Cabeção, chamou ele de burro, estúpido, ignorante e mentecapto e ficou uma semana sem conversar com ele. O Reinaldinho Cabeção ficou tão triste por causa do Zezinho não falar mais com ele que chegou a ficar doente…


Diogo de M. muda-se para a Caverna do Ostracismo

12 de dezembro de 2010

As esclarecidas e consistentes opiniões do sr. Diogo de M. inspiraram várias obras-primas da literatura nacional.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, participou ontem da cerimônia de recepção do novo morador do  Retiro do Udenista, situado na Caverna do Ostracismo, fundos.  Trata-se de seu ex-assessor para assuntos culturais, o sr. Diogo de M., o mais  importante intelectual das salas de espera de consultórios do Brasil.

Em seu discurso de acolhida, o Presidente de Nascença elogiou os grandes dotes mentais do sr. Diogo de B. e agradeceu seu esforço ao longo dos últimos anos.

Nesse período, o eminente intelectual murídeo foi um dos mais fiéis escudeiros do Maior dos Filhos da Mooca,  na encarniçada luta contra o usurpador do planalto e contra a usurpadora-mirim.

A cerimônia foi bastante discreta, porque o sr. Diogo de F. anda se escondendo de uns cobradores e oficiais de justiça.  Além do pres. Zezinho, compareceram Caetano, ex-gênio e atual cozinheiro da Caverna do Ostracismo e o assessor Reinaldinho Cabeção, além de mais uma meia dúzia de jornalistas de programa da Revista Mais Vendida do Brasil.

Os eleitores infantis paulistas ficaram muito tristes porque não vão mais poder ler as edificantes opiniões do sr. Diogo de M.

Charmoso como sempre, o sr. Diogo de E. vestia uma belíssima fantasia de Colombina, e chegou perguntando aonde estava o Arlequim. Os presentes entreolharam-se, sem compreender, até que o Presidente de Nascença esclareceu:  o silvícola não está; foi comer merenda numa escola aqui perto.

O sr. Diogo de C. ficou muito contente com seus aposentos, uma confortável quitinete especialmente preparada para suportar suas crises existenciais. A chamada quitinete existencial foi equipada com doações de vários próceres da UDN.

O sr. Geraldinho do Vale doou um belo conjunto de cilício e disciplina; Arnaldo Jabá doou uma coleção de seus filmes e o ex-sábio FHC colaborou com um elegante volume com uma seleção de seus mais emocionantes discursos. O ex-humorista de fogo, sr. Marcelo de M., prometeu contribuir com uma caixa de scotch, mas só chegou metade.

Parece que o sr. Diogo de M. dedicará seus dias no aprazível valhacouto espeleo-udenista a soltar pipas: a srta. Francine De L’Herbe doou umas folhas de papel de seda para o enxoval da quitinete existencial da Caverna do Ostracismo.

O sr. Diogo de B. será substituído na Revista Mais Vendida do Brasil por outro intelectual de origem italiana, que já está recebendo o treinamento adequado, conforme se pode assistir no vídeo abaixo:

Carta-testamento

Sempre épico e consciente de seu relevante papel na história, o sr. Diogo de B. escreveu uma bela carta-testamento, publicada pela Revista Mais Vendida do Brasil.

Apontada pelo eminente filósofo e acadêmico, sr. Merdoval Pedreira, como um documento mais importante que a carta-testamento de Getúlio Vargas, a carta do sr. Diogo de F. emociona pelo tom pungente e pelo seu grandioso comprometimento com o futuro da nação.

Segundo fontes do departamento literário da UDN, o sr. Diogo de M. teria escrito a carta em seu recente retiro em Veneza. Ele havia se refugiado na cidade para fugir de um credor que estava no seu pé, mas, acostumado à fama nas terras brasileiras, desistiu de se alojar na cidade dos ratos. Lá, era apenas mais um.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN fez uma bela festa junina para comemorar a patriótica chegada do sr. Diogo de M. à Caverna do Ostracismo.

Esse aí não é aquele rapaz que aparece num programa de televisão que eles falam de Nova Iorque? Ele tem bem cara disso mesmo, um desses playboyzinhos metidos a besta que se acham melhores e mais espertos que os outros.  O Zezinho tinha um amiguinho assim, quando era criança, lá na Mooca. Não lembro o nome dele, mas era o mesmo jeito desse aí. O pessoal dizia que o  menino era a alegria da molecada, todo mundo judiava e se aproveitava dele: tomavam os brinquedos, roubavam o lanche no recreio. Mas o moleque também não era flor que se cheirasse. Volta e meia ajudava o Reinaldinho Cabeção a falar mal dos outros. Uma vez, o Zezinho mandou o Reinaldinho Cabeção oferecer uma revista do Pato Donald para esse moleque, para ele ajudar a espalhar umas mentiras sobre um menino que tinha brigado com o Zezinho. O moleque saiu fazendo fofoca e xingando o tal menino. Acabou indo parar na diretoria e disse que o Zezinho tinha mandado ele fazer aquilo. O Zezinho, claro, negou. O moleque pegou uma suspensão, ficou sem o Pato Donald e ainda levou uma surra do irmão mais velho do menino de quem ele tinha espalhado as mentiras…


Geraldinho do Vale: Distribuição de Veja nos presídios fortalece autogestão prisional

15 de setembro de 2010

Geraldinho do Vale abençoou a decisão do pres. Zezinho.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, mais uma vez tomou uma decisão que vai mudar o Brasil. Não é sem motivos que o povo brasileiro em uníssono grita seu nome.

A aquisição e distribuição de assinaturas da revista Veja para todos os presídios e cadeias do Brasil tem garantido ao Presidente de Nascença elogios vindos de toda parte.

O segundo melhor governador paulista de todos os tempos, Geraldinho do Vale, enalteceu a decisão do pres. Zezinho. O  cucurbitáceo disse que a medida vai fortalecer a auto-gestão nos presídios.

Esse revolucionário choque de gestão prisional foi implantado por ele e aperfeiçoada pelo Defensor Perpétuo de Higienópolis durante o tempo faustoso em que sabiamente governou a locomotiva da Nação (período conhecido entre os paulistas como “Os Anos Mais Felizes de Nossas Vidas“).

A autogestão prisional da dupla Zezinho-Geraldinho também permitiu aos detentos o acesso ao direito à comunicação.

O grande líder da autogestão penitenciária paulista, sr. Marcos Camacho, concordou com o sr. Geraldinho do Vale, seu antigo parceiro nas negociações que culminaram na autogestão prisional:  “eu gosto muito de ler, então é bom todo mundo gostar”.

Entusiasta de primeira hora da medida, o sr. Marcos ordenou que o comércio distribuísse cerveja grátis e um  foguetório fosse providenciado em várias localidades do estado.

A OAPCC (Organização dos Adevogados do PCC) também saudou a medida: “adevogado não é jornaleiro, estamos cansados de carregar peso para entregar a revista aos nossos clientes”, disse a lida da prestigiosa corporação de adevogados.

Reinaldinho Cabeção e a seu clone, a lacraia Dioguinho, deram pulinhos de alegria.

Reinaldinho Cabeção e a seu clone, a lacraia Dioguinho, deram pulinhos de alegria.

No meio jornalístico a repercussão foi a melhor possível. Vários repórteres de programa do jornal mais vendido de São Paulo e do jornal mais vendido do Rio de Janeiro foram pedir emprego na prestigiosa editora que se encontra junto a marginais.

Reinaldinho Cabeção  e a a lacraia de estimação do pres. Zezinho ficaram exultantes com a notícia. “É muito bom ver nosso trabalho ser apreciado e reconhecido pelos leitores mais esclarecidos”, declarou o precoce invertebrado moral.

Engenheiros consultados informaram que não há perigo de entupimento dos esgotos dos presídios, pois a revista desce bem pelos caminhos cloacais.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN fez uma festa junina com fogos de artifício e dança para comemorar mais este contrato da editora da marginal.

QUADRILHA: UDN fez uma festa junina com fogos de artifício e dança para comemorar mais este contrato da editora da marginal.

O Zezinho sempre gostou de distribuir porcaria. Uma vez, ele começou a juntar papel de bala de eucalipto.  Cada vez que chupava uma bala, ele guardava o papel.A mãe dele perguntou para que era aquilo e ele disse que estava guardando para fazer um trabalho de educação artística na escola. A coitada da mãe dele, uma senhora muito bondosa, acreditou, porque era um papel prateado, bonito. Quando o Zezinho já tinha vários papéis guardados, ele embrulhou uma lacraia da sua criação em cada um dos papéis de bala e levou para a escola. Na hora do recreio, chamou a molecada e disse: “hoje eu trouxe bala pra todo mundo”. As crianças foram logo pra cima dele, e ele distribuiu uma falsa bala para cada um. Daí foi uma gritaria danada, uma menina até desmaiou. O Zezinho, claro, disse que não foi ele, e pôs a culpa em outro moleque.


Pres. Zezinho vai distribuir revista Veja em todas as cadeias do Brasil

14 de setembro de 2010

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, é um defensor convicto dos Direitos Humanos. Tendo sido o principal mentor intelectual de Marshall e Bobbio, entende que sua tarefa como governante é a expansão e a universalização dos direitos.


DIREITOS HUMANOS EM SPRAY: Mais uma genial criação do pres. Zezinho, quando foi governador e comandava a polícia mais democrática do Brasil.

Para dar conta dessa missão humanitária, o Presidente de Nascença resolveu também promover um tratamento digno aos presidiários.  Crente que é na natureza bondosa de todo ser humano, o Rousseau da Mooca deseja oferecer cada vez mais oportunidades para os detentos. A formação e aperfeiçoamento profissional é um dos pilares do crescimento pessoal dos reabilitandos do sistema penal.

Perigosos comunistas tentam sabotar a humanitária medida do pres. Zezinho

Por isso, o  pres. Zezinho decidiu que vai investir na formação profissional dos criminosos presos.  Já determinou a seu futuro ministro da educação e serviços gráficos, Paulo R. Gates de Souza, a aquisição de assinaturas da revista Veja para serem distribuídas a todos os presídios, casas de detenção, cadeias públicas e delegacias do Brasil.

Com a leitura semanal da revista, os detentos ampliarão sua cultura geral e tomarão conhecimento de novas técnicas profissionais que lhes serão úteis quando de volta ao convívio social.

A revista foi escolhida por conta de sua refinada linha editorial. Segundo o Presidente de Nascença, a grande vantagem é que nenhuma mudança editorial precisará ser feita para atingir esse novo público.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN fez uma festa junina patriótica para comemorar mais este contrato da editora da marginal.

O Zezinho sempre gostou de distribuir papéizinhos. Uma vez, ele mandou o Reinaldinho Cabeção roubar todos os rolos de papel higiênico da escola. Depois, fez o Reinaldinho Cabeção desenrolar o papel e escrever um monte de coisas falando mal do Renatinho,  um menino que tinha sido escolhido no lugar do Zezinho para ler a homenagem a 1932 na comemoração da escola. Quando o Reinaldinho Cabeção terminou de escrever, os dois enrolaram tudo de novo. Então, puseram um rolo em cada sala de aula, na mesa da professora. Quando descobriram, reconheceram a letra do Reinaldinho Cabeção e logo disseram que era culpa dos dois, porque sempre faziam essas reinações juntos. O Zezinho disse: eu não tenho nada com isso; o Reinaldinho deve ter feito para colocar a culpa em mim, a mando do Renatinho. O resultado foi que o Reinaldinho Cabeção levou a suspensão sozinho, mas o Zezinho deu 50 cigarrinhos de chocolate Pan pra ele, como compensação.


Veja só: Pres. Zezinho cai no golpe da lacraia falsificada

12 de setembro de 2010

TRAMÓIA NOJENTA: Os criminosos disseram que era uma lacraia premiada.

Às vezes, a virtude paga tributo à falta de caráter. Infelizmente, foi isso o que ocorreu com o Mais Preparado dos Brasileiros. Homem de boa índole, que sempre acredita no próximo, por conta de sua bondade natural deixou-se enganar por malfeitores.

Os criminosos que enganaram o Presidente de Nascença são os traiçoeiros editores da Revista Mais Vendida do Brasil.

Os estelionatários do prestigioso semanário ofereceram ao Mais Inocente dos Brasileiros uma nova lacraia de estimação. Jovem, bem treinada e promissora lacraia. Uma lacraia de boa peçonha, que sabia fazer vários truques, até escrever matérias para a revista.

Logo o Presidente de Nascença encantou-se com o animalzinho e o comprou a peso de ouro. Afeiçoado à graciosa escolopendra, o Presidente de Nascença até lhe deu um belo nome: Dioguinho.


A verdadeira lacraia premiada está desaparecida.

Porém, bastaram cinco horas e alguns blogueiros sujos para revelar o terrível segredo. A lacraia, na verdade, era um embuste.

Como o papagaio da piada, que, ao chegar em casa não fala mais e na verdade é uma coruja, a tal lacraia de pedigree não conseguiu reproduzir os truques, que se provaram uma falsificação.

Mas o lado mais sórdido da história somente agora foi revelado. A lacraia não somente tinha um pedigree falso, como nem lacraia era.


O disfarce era quase perfeito.

Com a falta de escrúpulos que os distingue, a famiglia que comanda a editora vendeu ao Presidente Zezinho um clone defeituoso de Reinaldinho Cabeção, em lugar da lacraia de pedigree.

Fruto de uma experiência mal-sucedida de clonagem de bestas-feras, a lacraia é, na verdade, um clone mal acabado do famoso assessor de imprensa do Mais Leal dos Brasileiros. Apesar de ter a mesma ferocidade, é muito mais incompetente.  Seu veneno é de curta duração, deixa muitos rastros e, como falha muito, não é confiável.


FARSA DESMONTADA: O clone fracassado e o Reinaldinho Cabeção original (direita).

Revoltado, o presidente Zezinho telefonou para a redação da Mais Vendida das Revistas, mas os representantes da famiglia proprietária mandaram dizer que não estavam.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho sempre gostou de lacraias. Na verdade, era o bicho preferido dele quando era criança. Ele até criava umas. Costumava colocar lacraias no meio do material das crianças de que ele não gostava. Uma vez uma picou um menino que tinha brigado com o Zezinho e o braço dele ficou todo vermelho. A diretora da escola quis saber quem foi e o Zezinho jogou a culpa no Reinaldinho Cabeção, que acabou levando a suspensão no lugar dele. Mas nem por isso deixou de ser puxa-saco do Zezinho…


O complô da polícia contra Serra

1 de novembro de 2009
Conspirador

Já se sabe quem é um dos líderes do complô. A Globo tomará providências.

O Guardião do Bem Comum, o sapientíssimo governador Zezinho, descobriu um terrível complô contra seu moralizante e revolucionário governo que já está transformando o Brasil em potência mundial: a polícia de São Paulo, transfomada num valhacouto de petistas, conspira contra o bem da nação, em coluio com favelados viciados na Bolsa Família implantada pelo usurpador do assento do Presidente de Nascença.

Um dos costumeiros insights de genialidade do Novo Bonifácio de Andrada fez-lhe perceber a conspiração, entre uma tuitada e outra. O Presidente Perfeito ligou dois fatos:

1) Três incidentes parecidos em três pontos distantes uns dos outros na cidade de SP: conflitos entre polícia e moradores das favelas  Paraisópolis, Tiquatira e Heliópolis.

Mercenários tentam semear a cizânia entre os homens bons

O gov. Zezinho suspeita de fogo amigo.

Nos três casos, mercenários ignorantes que se vendem por uma cesta básica utilizaram o pretexto de realizar protestos  contra o que chamaram de arbitrariedade policial, por conta do tratamento diferenciado que recebem por serem naturalmente suspeitos de crimes, para fazer a semeadura do caos nas ordeiras terras dos bandeirantes.

Nos três casos, chamou a atenção do Paladino da Concórdia Nacional a atuação patética da polícia. Apesar da voz serena e responsável da grande imprensa haver apontado que os moradores eram manipulados por traficantes, os episódios renderam críticas ingratas ao Mais Diligente dos Governantes.

2) O aumento das estatísticas da violência no terceiro trimestre de 2009.  Roubos, sequestros e latrocínios cresceram assustadoramente, segundo os números da própria polícia. O Governador sentiu-se aliviado porque ao menos um indicador melhorou: o roubo a bancos diminuiu.

O Mais Sincero dos Servidores do Povo, percebendo a armadilha que lhe armavam, imediatamente solicitou ajuda de seus  amigos. Convocou uma reunião de emergência.

Os  deputados federais criptoruralistas Arnaldo Madeira e Carlos Sampaio, do PSDB-SP, chegaram à audiência do governador trazendo uma caixa de laranjas cada um. Junto, eram portadores da notícia de que o nefando conjuro incluía também a subversiva invasão de terras federais legitimamente griladas pela Cutrale, realizada pelos inimigos da prosperidade da nação cobertos pela vermelha bandeira do MST. Tal ato demonstra que a cruel conspiração tem também a participação dos criminosos da Via Campesina e do  MST, conforme documento já encomendado à Folha de S. Paulo.

O deputado Arnaldo Madeira

O deputado Arnaldo Madeira no momento em que alertava o governador Zezinho: o MST está atentando contra a democracia e o direito à grilagem.

Um especialista tucano em segurança pública foi enviado diretamente do Rio Grande do Sul pela sua correligionária preferida, a cleptogovernadora cleptotucana Yeda Crusius, especializada em resolver conflitos com o MST.  Segundo o powerpoint do especialista,  os favelados e os falsos trabalhadores rurais organizaram os atos badernosos com o apoio de um grupo de militantes esquerdistas que opera com o nome de Os Aloprados e que possui diversos agentes infiltrados no comando das polícias civil e militar do estado. Estava comprovado ser, de fato, um enorme complô contra o Gênio da Promoção do Desenvolvimento, unindo a polícia e os moradores de algumas das maiores favelas de SP, além do crime organizado, os petistas e o MST. A equipe de contrainformação colocada à disposicão pela Rede Globo informou  a realização de  uma reunião secreta do complô, no estádio do Morumbi.

Convencido da traição contra sua sabedoria, O Homem Talhado para Levar o Brasil ao Século XXII decidiu agir rapidamente. Solicitou ao seu assessor de imprensa de estimação , o jornalista Reinaldinho Cabeção, uma nota pública a ser veiculada em rede nacional pela revista Veja. Diz a nota:

A polícia de São Paulo está  dominada por perigosos petistas infiltrados. Um complô terrível faz com que a segurança pública de São Paulo venha enfrentando problemas inadmissíveis. Não fosse isso, o governador, na condição de ser O Mais Preparado dos Brasileiros, já teria conseguido corrigir as deficiéncias da polícia, fazendo com que ela se tornasse um reflexo de sua competéncia inegável. Sendo O Mais Democrata dos Democratas, jamais aceitaria que seus subordinados tratassem com violência e preconceito os desvalidos da sociedade. Sendo Defensor das Prosperidade dos Paulistas, jamais permitiria que os preciosos bens da população ordeira e trabalhadora fossem-lhe subtraídos pelos vagabundos que vêm para este estado roubar e estragar o sistema educacional. Sendo o Demiurgo do Progresso Nacional,  jamais toleraria a complacência da polícia com o ataque aos legítimos interesses econômicos dos citroempreendedores bandeirantes. O governador pede a todos os paulistas que se mantenham calmos neste momento de transe. A Rede Globo, os jornais paulistas e a Vejinha já foram mobilizadas para destruir o complô, nem que seja preciso recorrer à presidência do STF.

Após a divulgação da nota, o Mais Paulista dos Filhos da Móoca decidiu acelerar o processo de privatização da segurança pública no estado. Foi constituído um grupo de trabalho para discutir o tema, coordenador por Zuzinha Covas, Barjas Negri e o Senador Tasso Jereissati.

Comentário da Tia Carmela: Já falei pra você que o Zezinho nunca gostou muito de pobre. Lembra da história do Baianinho, que dormia embaixo da marquise e ele queria que o guarda noturno expulsasse da rua?  Depois o Zezinho ficava falando na rua que o Baianinho e o guarda noturno tinham um complô contra ele. Na verdade, não foi a primeira vez. O Zezinho sempre achou que faziam complô contra ele. Uma vez foi reclamar com a diretora do grupo escolar, porque os meninos da sala tinham ido caçar passarinho lá pros lados da Penha e não chamaram ele. Ele falou pra diretora que eles estavam “conspirando contra ele”. A diretora caiu na gargalhada e o Zezinho passou a dizer que ela estava conspirando contra ele, também…