WikiLeaks vaza mensagens sobre o pres. Zezinho

1 de dezembro de 2010

AJUDA: A srta. Soninha Copélia não aguenta mais os vazamentos da torneira do pres. Zezinho e decidiu ela mesma resolver o problema.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, foi novamente vítima de uma  vazamento mal-intencionado.

Depois de sofrer com os vazamentos que quase fizeram sua casa cair, o Presidente de Nascença vê, agora, vazarem informações sobre si no site WikiLeaks.

Nas correspondências que vazaram, não há nenhuma referência a ligações do pres. Zezinho com a CIA (Caracu Inteligency Agency), o que confirma os desmentidos anteriores.

Os documentos mostram o quanto o Mais Genial dos Economistas é admirado por todo o mundo. O embaixador dos EUA em Brasilia chega a comentar: “nunca vi alguém tão brilhante!”

x-9: Tom Jobim foi homenageado no enredo "Um Trapalhão Fofoqueiro no Reino Encantado dos Guerreiros da Esplanada Tupiniquim"

Constrangidos, os  diplomatas norte-americanos informam a Washington que o pres. Zezinho é muito mais capaz que Barack Obama e George Bush juntos, e chegam a considerar a hipótese de outorgar-lhe a cidadania norte-americana para que assuma a presidência do país.

O Carnaval também não escapa dos assuntos abordados. Em mensagem de fevereiro de 2009, o cônsul dos EUA em S. Paulo comenta o empenho do Maior dos Filhos da Mooca em favorecer uma escola de samba no carnaval paulistano.

Com o o apoio do adido militar dos EUA na Esplanada dos Ministérios, o músico desencarnado Tom Jobim, o pres. Zezinho teria tentado favorecer a Escola de Samba X-9 no Carnaval daquele ano.

Para os EUA, o pres. Zezinho (direita) teria uma relação privilegiada com a X-9.

Outros grandes feitos do Estadista da Mooca são celebradas pelos agentes dos EUA. Sua atuação decisiva na crise do Irã, na convenção de vendas da fábrica de chocolates Kopenhagen e na recente reunião do G-20 receberam centenas de referências elogiosas nos documentos oficiais dos EUA que vazaram.

Mas o tópico que apresenta mais referências é o Acordo CARACU EUA-Brasil, na qual o grande irmão do norte entrará com a primeira parte. Os diplomatas estadunidenses revelam o empenho pessoal do Presidente de Nascença durante a negociação.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: o pres. Zezinho teria se encantando com algumas diplomatas norte-americanas que conheceu em uma festa junina da UDN.

O Zezinho sempre gostou desse negócio de diplomacia. Quando era criança, ele sempre dizia que queria ser diplomata. Uma vez, a professora perguntou o que cada criança queria ser quando crescesse. O Reinaldinho Cabeção levantou a mão na mesma hora e disse: “eu quero ser assessor de imprensa do Zezinho”. A professora, então, perguntou ao Zezinho o que ele queria ser e ele disse: “eu quero ser diplomata, para ser embaixador dos Estados Unidos e mandar em todos os países do mundo”. A professora então disse que, como ele era brasileiro, o Zezinho nunca poderia ser diplomata americano. O Zezinho ficou furioso, começou a gritar e saiu da sala chorando.

As grandes capacidades do Presidente de Nascença também são celebradas pelos agentes dos EUA. Sua atuação decisiva na crise do Irã, na convenção de vendas da fábrica de chocolates Kopenhagen e na

Zezinho em Kopenhagen 8: Injustiça – supersticiosos culpam Zezinho por fracasso

19 de dezembro de 2009

Com o fracasso da cúpula da ONU para o clima, começa o triste momento de buscar culpados. Lula, como sempre, saiu-se bem. O usurpador da cadeira que Deus fez para o Mais Preparado dos Brasileiros fez um discurso que emocionou o mundo e posou de bonzinho nas questões climáticas. Obama é acusado de omisso. Os chineses são taxados como os grandes boicotadores da COP15.

Passada a primeira onda de reações ao fracasso da conferência, uma nova explicação se dissemina na capital dinamarquesa: a culpa do fracasso da conferência deve ser atribuída ao Governado Zezinho. Fomos procurar entender qual seria a fonte de tamanha barbaridade.  Entrevistando diversos diplomatas, autoridades e representantes de ONGs presentes em Kopenhagen, foi possível concluir que a causa de tamanho absurdo é a superstição.

Suspeita: Bonecos-vodu de Lula encontrados em latas de lixo do hotel onde o Gov. Zezinho se hospedou.

Vários diplomatas disseram ter ouvido histórias de que o Governador Zezinho é pé-frio, e onde ele entra as coisas dão errado. Apesar de seu alto nível educacional e experiência internacional, embaixadores, ministros plenipotenciários e outros agentes das relações exteriores acreditam nesse tipo de superstição, baseando-se em fatos isolados como a derrota de Cruzeiro quando ele foi assistir a jogo no Mineirão, ou a derrota de Rubens Barrichello no último GP Brasil.

A delegação Haiti chegou a afirmar que o Governador Zezinho fez algum tipo de vodu contra a conferência, para que Lula não chegasse de volta  ao Brasil cantando vitória.  A delegação da Romênia foi a única a expressar solidariedade ao Grande Estadista da Móoca.

Essa sandice demonstra, de per si, como a política externa brasileira, preocupada apenas com a África e outros países sem civilização, está equivocada: ninguém na Europa e nos outros países onde as pessoas sabem comer com garfo e faca tem consciência  de que o Maior dos Brasileiros jamais cometeu, nem cometerá, o mais minúsculo dos equívocos.

O gov. Zezinho estaria escondido embaixo desta mesa. Ele NÃO é a senhora no alto da foto, lado esquerdo.

Mas não são apenas os supersticiosos que culpam o gov. Zezinho.  Outros acusam o Mais Preparado dos Ambientalistas de haver dedicado pouca energia a convencer os líderes globais do acerto de sua proposta de isentar os países ricos de assumirem os custos do aquecimento global. Segundo fontes acreditadas em várias representações diplomáticas, várias liderenças queixaram-se que, nos momentos mais graves da conferência, o Maior dos Moquenses não era encontrado, por estar  circulando pela noite de Kopenhagen com seu novo amigo fortão, Arnold, ou realizando despachos secretos com sua nova assessora de comunicação. Alguns diplomatas que pediram sigilo afirmaram, inclusive, que quando a coisa tornou-se mais tensa, o Gov. Zezinho foi visto escondendo-se embaixo de uma mesa de reuniões. Enquanto estava escondido sob a mesa na qual se decidia o futuro do mundo, o Maior dos Economistas postava mensagens no twitter dizendo: “Arnold é muito legal. Adorei conhecê-lo.”  ou “Esse negócio de enchente não é comigo”.


Comentário da Tia Carmela

Esse negócio de que o Zezinho é pé-frio tem algum fundamento. Sempre que ele fazia alguma molecagem feia e era descoberto, na hora de ser castigado ele sempre tentava por a culpa em outros moleques. Quando não dava, ele sempre dizia: “eu não tenho sorte, mesmo…”


Zezinho em Kopenhagen 7: o telefonema de Obama

19 de dezembro de 2009

Pelo que pude acompanhar, aqui de Kopenhagen, teve uma certa repercussão no Brasil o telefonema do presidente dos EUA, Barack Obama, para o usurpador do lugar que por direito pertence ao Mais Preparado dos Brasileiros, o Governador Zezinho. Alguns comentaristas em blogues disseram que foi uma prova do prestígio de Lula junto à comunidade internacional.

Tendo acompanhado de perto a entusiástica acolhida da presença do Grande Estadista do Morumbi na COP15, resolvi apurar. Em contato com várias delegações diplomáticas presentes à capital do Ser ou Não Ser, obtive as seguintes informações, que agora repasso:

1 – Os motivos do telefonema de Obama a Lula

Obama agradece a Arnold S. pela indicação do seu novo conselheiro: Que estadista! É o novo Lincoln!

O telefonema de Obama para Lula foi um telefonema de busca de apoio, certamente. Mas foi, nesse sentido, um telefonema quase protocolar.  Esses acordos internacionais não são firmados em telefonemas ou mesa de bar: quando dois chefes de governo se telefonam, dezenas de contatos telefônicos foram feitos antes, pelas respectivas diplomacias.

Mas o telefonema do presidente dos EUA ao brasileiro que se assenta na cadeira que a justiça divina reservou ao Maior dos Brasileiros tinha uma intenção especial.  Sabendo da repercussão da presença do Presidente de Nascença em Kopenhagen, Obama resolveu pedir uma audiência ao governador Zezinho, para ouvir dele quais deveriam ser as posições do governo americano. Como não tinha o telefone do Ambientalista do Tietê, Obama resolveu aproveitar o protocolar telefonema a Lula para pedir o número do telefone.

2 – A reação de Lula

Lula mostrou-se contrariado com a intenção de Obama consultar o governador Zezinho. Por isso seus ministros  Dilma e Minc começaram a disparar contra a posição do govenro americano e contra o discurso de Obama na conferência. Lula tentou convencer o presidente dos EUA a não falar com o Mais Genial dos Governantes do Brasil, mas recebeu uma áspera resposta de Obama.

3 – O telefonema de Obama ao Futuro Presidente do Brasil

Obama ficou muito impressionado com o Governador Zezinho: esse é o cara que eu devo imitar!

Imediatamente após receber o número que Lula passou, contrariado, Obama telefonou várias vezes para o Governador Zezinho, mas o telefone caía na caixa postal. Quando conseguiu falar, depois de várias tentativas, já era noite, e o Sapientíssimo Estadista estava em companhia de seu novo amiguinho, Arnold, em uma danceteria em Kopenhagen. Como não tinha, naquele momento, a companhia de sua nova assessora de comunicação (pois estava em um “programa de meninos”, como depois explicaria, carinhosamente, à moça), o  Defensor das Várzeas de Piratininga pediu para seu amigo Arnold ajudar como intérprete da ligação.

O presidente Obama pediu encarecidamente que o Governador Zezinho o atendesse, pois a coisa estava ficando feia para o lado dos EUA e para ele, como presidente. Depois de esnobar um pouco, o Presidente Mais que Perfeito aceitou recebê-lo por quinze minutos no início da manhã seguinte.

4 – O encontro secreto entre Obama e o Governador Zezinho

O encontro aconteceu como previsto, às 6h da manhã seguinte. O Mais Corajoso dos Governadores estava visivelmente cansado, segundo comentários do próprio Obama com seus assessores. Segundo foi possível apurar, depois de uma noite intensa com seu novo amiguinho Arnold, o Homem Talhado para Dirigir o Brasil havia chegado de volta ao hotel às 4h, e imediatamente iniciara despachos de emergência com sua assessoria de comunicação.

Apesar de cansado pela noite em claro, o Governador Zezinho foi solícito com Obama, mas atendeu-o rapidamente, por apenas 10 minutos. Nesse período, apresentou a Obama sua proposta para as negociações da conferência: O Governador Zezinho entende que os EUA e demais países ricos não devem assumir os custos das mudanças climáticas. Isso caberia aos países emergentes, como o Brasil, para que os EUA e demais países ricos possam continuar a ter recursos para espalhar civilização para a gentalha de lugares horríveis do terceiro mundo, como o Jardim Pantanal. E recomendou que os EUA mantivessem sua posição. Ainda disse a Obama: você acha que foi eleito para fazer bondade?

Comentário da Tia Carmela:

Isso de dizer que ninguém é eleito pra fazer bondade, isso não é novidade com o Zezinho. Quando ele era menino, lá na Móoca, uma vez ele foi eleito monitor da turma, no grupo escolar. O monitor era quem recolhia e distribuía as cadernetas para carimbar PRESENTE. Era também quem ajudava a professora a entregar as lições e as provas corrigidas. Quando a professora saía da sala, o monitor tinha que tomar conta da sala e dedurar quem fizesse bagunça. Ele adorava essa parte. Uma vez, ele era monitor e a professora saiu da sala um pouquinho e deixou a sala fazendo lição de matemática. Como era uma lição difícil, a criançada ficou quieta, fazendo a lição. Quando a professora chegou, ele contou para ela que um menino tinha feito bagunça, o que era mentira. A professora pôs o moleque de castigo. Na saída, o menino foi tirar satisfação com o Zezinho, e falou: nós votamos em você para monitor pra você não dedar a gente, e você me deda quando eu não fiz nada? E o Zezinho respondeu: e você acha que eu quis ser eleito para fazer bondade?


Zezinho em Kopenhagen 6: Cacique Cobra Coral é a solução

18 de dezembro de 2009

URGENTE!

Aqui em Kopenhagen já é madrugada, mas os diplomatas envovidos na cúpula da ONU sobre as mudanças climáticas não descansam nesta noite.  Por conta das dificuldades das negociações, reuniões prosseguem acontecendo. Mas um fato novo parece estar mudando o sinal das previsões inicialmente pessimistas.

Segundo rumores que circulam na capital dinamarquesa, graças aos esforços do Mais Preparado dos Brasileiros, o Governador Zezinho, os impasses na  têm grande chance de serem resolvidos.   Percebendo as dificuldades que as lideranças mundiais enfrentavam para resolver o problema do aquecimento global, o Presidente de Nascença resolveu intervir mais fortemente. Interrompeu a balada em que estava com seu novo amiguinho, Arnold, para fazer alguns telefonemas que mudarão a história do planeta Terra.

Com a ajuda do escritor Paulo Coelho,  O Novo FHC convenceu os governos de vários países de que a melhor forma de controlar o aquecimento global e as mudanças climáticas é contratar a renomada Fundação Cacique Cobra Coral, especialista em previsões mediúnicas. O Homem Que Já Nasceu Presidente explicou aos governantes que já contratou os serviços da prestigiosa agência meteorológica alternativa, quando de sua meteórica passagem pela prefeitura de S. Paulo.

A proposta do Governador Zezinho recebeu entusiásticos apoios  e consiste na contratação da Fundação Cacique Cobra Coral  pela ONU para prevenir catástrofes e intervir  no clima com seus poderes meteoro-mediúnicos, barrando o aquecimento global e o derretimento das camadas polares. Até mesmo o presidente francês, que há algum tempo não demonstrara interesse na proposta, apoiou a propositura.

Está previsto o anúncio, nas próximas horas, das decisões da cúpula e altas fontes diplomáticas dão como certo que a nomeação da fundação indígeno-serpentária como agência mundial para o clima será o principal item das resoluções.


Comentário da Tia Carmela:

O Zezinho sempre gostou desses bichos nojentos. Uma vez, teve uma enchente na Ilha do Sapo, perto da Av. Presidente Wilson, lá na Móoca. Ele foi para lá com seus amiguinhos para fazer arte e voltaram com uma cobrinha que apareceu na enchente. Eles pegaram a cobra, colocaram num caixote e ficavam assustando as meninas da rua. O Zezinho sempre achou enchente uma coisa divertida…


Zezinho em Kopenhagen 5: Penetra em festas com seu novo amigo

18 de dezembro de 2009

A estada do Governador Zezinho na romântica capital dinamarquesa tem sido bastante agitada. Além de distribuir conselhos aos grandes líderes mundias sobre como lidar com a mudança climática e o problema das inundações, o Mais Preparado dos Brasileiros também fez novos amigos e com eles divertiu-se muito na noite nórdica.

A noitada incluiu os festivos bares da cidade, onde foram recebidos alegremente

Acompanhado de seu novo melhor amigo, o ator Arnold S., o Presidente de Nascença dedicou-se a curtir os embalos de sexta-feira à noite em Kopenhagen, naquilo que a imprensa internacional, em sua intensiva cobertura da presença do Gov. Zezinho na COP15, está chamando de Fredag Aften Feber.

O Inalcançável Cérebro e seu musculoso amigo iniciaram sua noitada com um passeio no Tivoli Park. Depois, resolveram aquecer os motores em bares da capital do reino.  Sendo a última sexta-feira antes do Natal, os bares da cidade encontravam-se lotados. Em vários deles ocorriam as famosas festas de fim de ano da firma. Os dois amigos participaram ativamente da festa de uma editora, uma empresa de administradora de rodovias e uma terceirizadora de mão-de-obra. Confraternizaram com os dinamarqueses, que adoraram a inesperada visita do Mais Aclamado dos Filhos do Brasil. Em um dos bares, a notícia da presença dos dois festivos colegas espalhou-se rapidamente e o afluxo de pessoas foi tal que causou um congestionamento nas cercanias.

O amigo do Gov. Zezinho dançou com a noiva e mostrou que é um pé-de-valsa.

Há vinte minutos a BBC internacional interrompeu sua programação para informar que o Mais Californiano dos Brasileiros e seu amigo ator Arnold S. foram vistos entrando em uma elegante festa de casamento nas cercanias do Palácio Real de Kopenhagen. A reportagem britânica averiguou que ambos não haviam sido convidados mas, graças ao enorme prestígio internacional do Mais Preparado dos Brasileiros, puderam entrar e foram colocados nos lugares de honra da festa.

Lars Løkke Rasmussen

O pai da criança batizada pelo Gov. Zezinho: foi uma honra enorme!

Após ficarem cerca de 40 minutos na festa e se revezarem em dançar com a noiva, os dois animados camaradas partiram em busca de mais aventuras na gelada noita danesa, para eles bastante quente. Segundo a TV dinamarquesa Kanal 4, que designou uma equipe para acompanhar o Novo Chico Mendes no país, a dupla caminhou um pouco pela rua e logo entrou em uma outra festividade, desta vez um batizado. Novamente a cena se repetiu: ao ver tão ilustre visitante chegando, os anfitriões esqueceram os convidados e dedicaram-se a agradar o Mais Sustentável dos Economistas e, por cortesia, seu acompanhante.

Após jantarem e beberem uma garrafa de vinho, os dois convivas decidiram novamente partir, para tristeza da família, que apenas aceitou a partida depois que o Gov. Zezinho concordou em ser o padrinho da criança. Entrevistado pela TV dinamarquesa, o pai da criança, Lars Rasmussen, declarou ser esta a maior honraria que poderia ter tido em sua vida. 

Segundo a CNN, além dessas duas festas, a dupla  também conseguiu entrar como penetras em mais duas festas de casamento, uma festa de bodas de ouro e uma conferência da ONU.

As armadilhas da noite dinamarquesa assustaram a assessora de comunicação do Gov. Zezinho

A incursão na noite danesa trouxe problemas para o Gov. Zezinho no plano doméstico.  No saguão do hotel onde se hospedaram, em uma aprazível e romântica avenida de Kopenhagen, uma assessora de comunicação,  integrante de destaque de sua comitiva oficial, mostrava-se bastante contrariada. Segundo pessoas que assistiam a cena, ela reclamava que o Gov. Zezinho não poderia ter saído para divertir-se com seu camaradinha fortão, sem fazer-se acompanhar de sua assessoria de comunicação. “Pode ser perigoso,” ela dizia, visivelmente nervosa. “Ele pode cair em alguma armadilha”. O experiente assessor Reinaldinho Cabeção tentava consolar a jovem e novata assessora de comunicação dizendo que era assim mesmo, às vezes o Duce da Móoca gosta de dar umas escapadinhas para se divertir.


Comentário da tia Carmela:

Isso de gostar de entrar de bicão em festa dos outros, eu cansei de ver o Zezinho fazer. No casamento da minha prima Luciana, por exemplo, ele chegou com mais dois amiguinhos. Um eu até acho que era o Reinaldo Cabeção, mas não tenho certeza, agora. Eles já eram mocinhos, deviam estar no fim do ginásio. Chegaram, todos arrumadinhos, cabelo com topete cheio de brilhantina, porque naquela época eles ainda tinham bastante cabelo, e foram entrando como quem não quer nada. Minha prima não tinha convidado os dois, e a maior parte da festa nem conhecia. Meu tio Cláudio percebeu e quis colocar os meninos pra fora, mas a tia Flávia, que era muito boazinha, não deixou.  Eles foram os últimos a sair da festa, tomaram tanta cuba libre que deram vexame no final…


Zezinho em Kopenhagen 4: proposta revolucionária agrada líderes do 1o. mundo

18 de dezembro de 2009

Sempre preocupado em seguir as diretrizes partidárias, o Mais Preparado dos Homens Públicos, o governador Zezinho, apresentou uma proposta que causou grande impressão positiva entre os líderes dos países do Primeiro Mundo presentes ao encontro climático na fábrica de chocolates na terra do Scubidu.

A touca verde do gov. Zezinho fez muito sucesso com os líderes mundiais mais expressivos reunidos em Kopenhagen

A proposta do Presidente de Nascença foi considerada a melhor já apresentada até agora por vários governantes do G-8 e pela imprensa européia e americana.  O governador Zezinho defendeu que os países emergentes assumam os custos da transição energética para uma economia com baixa emissão de carbono e também os custos da redução do crescimento dos países mais pobres. Segundo o Maior dos Brasileiros, não é justo que os países desenvolvidos assumam esses custos, uma vez que o desenvolvimento mundial e a vitória da civilização deles depende. Assim, o Grande Ecologista Pátrio propôs que o Brasil faça uma doação significativa para a causa, em torno de 1 trilhão de dólares. Para isso, defende o Maquinista da Locomotiva da Nação que o governo privatize a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Amazônia, o Rio de Janeiro e a Gisele Bundchen, obtendo recursos para a generosa doação que garantirá a continuidade do desenvolvimento mundial.

O governador do DF, Demoarruda Bauducco, imediatamente aderiu à idéia, e anunciou a doação de 1 bilhão de panetones para os países africanos. Já o governador da Califórnia adorou a contribuição do governador Zezinho, que além dos recursos enviou um antigo compositor baiano para ensinar ao aposentado  Exterminador do Futuro como  construir sua própria Caverna do Ostracismo, usando apenas energia limpa e livros de sociologia.

Comentário da Tia Carmela:

O Zezinho sempre foi muito generoso. Uma vez, lá na Móoca, se ofereceu para ser coroinha da missa e fazer a coleta das ofertas. Quando a missa acabou, ele pegou metade da coleta e colocou em um envelope e entregou ao sacristão dizendo: esta é minha oferta, não quis colocar no cesto para não ficar aparecendo.


Zezinho em Kopenhagen 3: a romaria de líderes mundiais pedindo seus conselhos

18 de dezembro de 2009

É um sucesso a participação do Mais Preparado dos Brasileiros, o governador Zezinho, na cúpula mundial da mudança climática realizada em uma tradicional fábrica de chocolates e chocotones.

A forte nevasca em Kopenhagen não impediu que uma multidão de governantes buscasse as sábias opiniões do gov. Zezinho

Desde o anúncio de sua chegada, o encontro dotou-se de uma agitação sem par. O Secretário-Geral da ONU interrompeu a sessão para anunciar a chegada do Presidente de Nascença, e os presentes aplaudiram a notícia por cinco minutos. O presidente francês, N. Sarkozy gritou de seu lugar: agora sim, teremos uma solução para o aquecimento global! O presidente chinês concordou e deixou de lado o tradicional comportamento reservado para subir na mesa e gritar: Viva! Com ele, nós aceitamos negociar!

O Gov. Zezinho e seus seguidores em Kopenhagen

Com a chegada à plenária, a sessão foi interrrompida. O governador Zezinho chegou à sala acompanhado pelo rei Hamlet, da Dinamarca, que fez questão de carregar sua bagagem e convidou-o a sentar no lugar de honra. De seu banquinho no canto da sala, o usurpador do Planalto resmungava contra toda aquela consagração.
Logo a força do Maior dos Paulistas se fez ver. O rei Hamlet cedeu seu escritório particular para que o Grande Defensor da Natureza pudesse receber a multidão de mandatários internacionais que desejava ouvir seus conselhos. Um a um, os maiores líderes do planeta reuniram-se com o governador Zezinho. Todos saíram elogiando sua sabedoria e comprometimento com o combate ao aquecimento global.

Cobertura mundial
A imprensa mundial destacou a participação do governador Zezinho. A BBC destacou uma equipe para cobrir sua presença no evento, com entradas a cada 5 minutos em sua programação normal na Grã-Bretanha. Seu canal internacional transmitiu ao vivo seus principais momentos no evento: sua fala a um interessadíssimo grupo de líderes mundiais, sua conversa com o Exterminador do Futuro, a aula que deu aos principais ministros do meio ambiente dos países do G-20, a reunião com o secretário-geral da ONU e os cinco discursos que fez em plenário. Originalmente apenas um discurso estava previsto, mas vários líderes solicitaram que fizesse outros discursos. Alguns deles abriram mão de suas falas para dar mais tempo às sábias palavras do Presidente de Nascença, entre eles Angela Merckel, Gordon Brown e Barack Obama. O Secretário Geral da ONU solicitou que o Maior dos Ambientalistas fizesse o discurso de encerramento do evento.
A CNN transmitiu um especial de 5 horas de duração sobre as enormes contribuições do Maior dos Engenheiros para a solução de problemas ambientais: a retirada de árvores e impermeabilização de áreas para o alargamento da Marginal do Tietê, a criação do Pantanal Paulista, onde antes havia o Jardim Pantanal, a expansão dos pedágios para desestimular o uso das rodovias, a transposição do rio Tietê e o uso de papel reciclado para embrulhar os panetones distribuídos pelo Programa Panetone São Paulo.
A Deutsche Welle interrompeu sua programação normal para transmitir o encontro do governador Zezinho com o Exterminador do Futuro, e também interrompeu a transmissão de uma entrevista ao vivo com a chanceler Angela Merkel para mostrar a chegada do Mais Douto dos Sábios à loja de chocolates.

A cobertura ao vivo do evento foi uma das maiores audiências já registradas na TV mundial.

Comentário da tia Carmela:
O Zezinho sempre gostou de dar conselhos. Uma vez, ele e um bando de moleques cabularam aula no Grupo Escolar e entraram de tarde na Igreja Bom Conselho, na Rua da Móoca. Não tinha ninguém na igreja, então o Zezinho entrou no confessionário e pôs o Reinaldinho Cabeção para organizar uma fila dos moleques que iam até
o confessionário, se ajoelhavam e ouviam os conselhos do Zezinho. Que não eram os mesmos que o padre dava…