Festa em Goiás: Amigo do pres. Zezinho compra Touro Bandido

16 de junho de 2012

A nova estrela da UDN é conhecida por estar sempre de olhos abertos para a injustiça.

O Mais Preparado dos brasileiros, o futuro pres. Zezinho, participou hoje da festa de comemoração da nova aquisição de um amigo goiano.

O amigo do Presidente de Nascença está muito orgulhoso, pois acaba de adquirir o Touro Bandido, famoso campeão brasiliense de rodeios jurídicos e tergiversações processuais.

O Touro Bandido, mal foi comprado, já aprontou das suas, na festa junina da UDN de Anápolis. Mostrando que é fiel ao dono, arrebentou a porta da cadeia da quermesse, bem na hora em que seu dono estava preso. A estrepolia do simpático ruminante foi comemorada pelos partipantes da festa, porque assim o amigo goiano do pres. Zezinho pode voltar a ser o puxador da quadrilha da festa junina.

A UDN sempre gostou de investir em bovinos.

A UDN sempre gostou de investir em bovinos (clique na imagem para recordar).

Festival de virtude udenista

Sempre solidário, o amigo do pres. Zezinho já colocou seu Touro Bandido à disposição do Maior dos Filhos da Mooca, se precisar de alguma forcinha.

Comovido, o Presidente de Nascença agradeceu a gentileza aos soluços, em um emocionado ataque de choro, abraçado ao seu amigo empresário de muita sorte.

Dos caudalosos esgotos da Caverna do Ostracismo jorraram versões desencontradas sobre essa súbita explosão de emoções daquele que é O Mais Racional dos Homens Públicos.

Alguns udenistas acreditam que o Salvador da Pátria Ungido pelos Céus anda se emocionando fácil porque recentes sondagens eleitorais não têm trazido boas notícias para sua já vencedora campanha-treino deste ano.

Ainda que esteja certo de sua inevitável vitória, o Mais Competente dos Governantes teme que isso gere uma redução das doações para sua campanha.

Obviamente, o pres. Zezinho preocupa-se com os doadores, que deixariam de fazer o bem, praticando a virtude da generosidade, tão cultivada pelo seu amigo goiano.

O Pres. Zezinho está solidário com Carminha. A estrela da UDN, desesperada, colocou a faca no pescoço de uma ministra do STF: “julguem o mensalão, antes que minha casa caia”.

Outras fontes afirmam que o Almirante do Tietê  tem se identificado com o drama de Carminha, da novela Avenida Brasil, pois a casa da personagem está caindo e o presidente Zezinho é muito sensível a essas coisas.

Na mesma linha de raciocínio, outros informantes comprados baratinho no Retiro do Udenista (sito à Caverna do Ostracismo, fundos, Higienópolis) têm dito que o pres. Zezinho anda nervoso porque está preocupado com o destino do filósofo greco-goiano Δημοσθένης, cuja casa caiu recentemente. O Maior Defensor do Mercado Livre teme que sua própria casa também caia, caso se forme uma grande torrente de água saindo do delta do Rio Tietê em direção ao Alto de Pinheiros.

QUADRILHA: A UDN goiana comemorou a nova aquisição com uma bela festa junina no Parque Vaca Brava, em Goiânia.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho sempre gostou de rodeio. Quando ele era criança, na Mooca, na rua passava o seu Joaquim, o leiteiro, puxando a vaca, que se chamava Formosa. Era uma vaca muito mansinha, e todo mundo gostava dela. A Formosa levava um sininho no pescoço e as pessoas saíam de casa ao ouvirem o para ir comprar leite tirado na hora. Uma vez, o Zezinho e o Reinaldinho Cabeção ficaram escondidos, esperando o seu Joaquim passar com a Formosa. Quando ouviram o sininho, o Zezinho mandou o Reinaldinho Cabeção sair correndo aos berros para montar na vaca. O Reinaldinho Cabeção obedeceu, como sempre. Desembestou pela rua gritando “Jerônimo!”. Quando chegou perto da Formosa e foi começar a pular em cima dela, a vaca deu um coice e jogou o Reinaldinho Cabeção longe. Foi um deus-nos-acuda. Quando tudo se acalmou, Seu Joaquim  comentou: a Formosa é boazinha, mas não suporta moleque imbecil. O Zezinho ficou lá, sentado atrás do poste, rindo sem parar.


Pres. Zezinho: Acordo Caracu EUA-Brasil depende de Merdoval na Academia

12 de abril de 2011

O Sr. Merdoval Pedreira já prometeu que vai colocar seu fardão a serviço do Acordo Caracu EUA-Brasil.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, declarou hoje que uma terrível ameaça paira sobre o Brasil, caso o seu jornalista de estimação, Sr. Merdoval Pedreira, não seja eleito para a AGL (Academia Global de Letras, Números e Risquinhos).

Trata-se do risco de se inviabilizar um sonho há muito tempo acalentado pelo Presidente de Nascença e seus amigos de Cornell: o Acordo Caracu EUA-Brasil, no qual os EUA entrarão com a primeira parte.

O Mais Competente dos Homens Públicos afirmou hoje, durante partida de bocha no Retiro do Udenista (Caverna do Ostracismo, fundos, Higienópolis), que está perdendo as esperança de que a usurpadora-mirim do planalto venha a se dispor a assinar tão importante acordo para o desenvolvimento nacional.

Assim, só resta o clamor das massas udenistas para pressioná-la a subscrever o acordo camarada.  O Maior dos Filhos da Mooca, como grande estrategista, já bolou um plano sofisticado para mobilizar a fina flor da elite nacional para esta nova cruzada cívica.

O plano consiste em conquistar espaços importantes para apresentar aos brasileiros os benefícios do valiosíssimo Acordo CARACU EUA-Brasil, no qual os EUA querem entrar de uma vez.

GENEROSIDADE MÚTUA: Quando era presidente, o ex-gênio FHC sempre ofereceu a retaguarda brasileira aos bondosos planos de Clinton.

Segundo fontes empijamadas da diplomacia udenoserviçal, a vitória de Merdoval Pedreira na AGL (Academia Global de Letras, Números e Risquinhos) seria a principal parte do plano do pres. Zezinho para acelerar a assinatura do maravilhoso Acordo CARACU EUA-Brasil, no qual os EUA, generosos como sempre, aceitam entrar com a parte mais dura.

De acordo com a brilhante estratégia udenocaracúlica, o Sr. Merdoval, uma vez imortalizado, disporia da privilegiada tribuna da AGL para defender o vantajoso acordo.

Com todo seu carisma e o peso do fardão, o grande rental journalist poderia  demonstrar aos brasileiros que é melhor o Brasil oferecer logo a retaguarda para os EUA implementarem o Acordo CARACU EUA-Brasil.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: A UDN vai promover várias festas juninas para promover a campanha do Sr. Merdoval.

O Zezinho sempre gostou de fazer planos mirabolantes de propaganda.Uma vez, quando ele era moleque, ele e a cambada que andava com ele montaram um time de futebol. Juntaram dinheiro, venderam rifa, e conseguiram comprar um fardamento e uma bola de capotão. O Zezinho, lógico, era o capitão do time. Ele resolveu fazer um acordo com um outro bando de moleques, que morava no Parque da Mooca: o time do Zezinho emprestava a bola e o fardamento para eles jogarem toda semana e, em troca, os meninos chamavam o Zezinho para brincar na casa de um deles, que era meio riquinho, de vez em quando. Quando contou o plano, os moleques do time dele ficaram muito bravos com o Zezinho, chamando ele de burro e coisa pior. Aí o Zezinho mandou o Reinaldinho Cabeção escrever um discurso bem bonito para o Zezinho ler e convencer os moleques. Quando o Zezinho foi ler o tal discurso, os moleques ficaram furiosos e quiseram bater no Zezinho. Mas ele falou: “Reinaldinho Cabeção, como você teve coragem de escrever essas asneiras, a gente vai dar uma surra em você!” E o Zezinho e os outros moleques saíram correndo atrás do Reinaldinho Cabeção, que foi se trancar em casa para não apanhar.


Cachorro-Lagosta apóia Merdoval Pedreira para a Academia

5 de abril de 2011
Os eleitores infantis paulistas acreditam que o Sr. Merdoval (direita) conta com o apoio das pessoas mais inteligentes do Brasil.

Os eleitores infantis paulistas acreditam que o Sr. Merdoval (direita) conta com o apoio das pessoas mais inteligentes do Brasil.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, conseguiu, em mais uma hábil manobra política, evitar a divisão interna da UDN nas eleições para a Academia Global de Letras, Números e Risquinhos (AGL).

O Presidente de Nascença conseguiu neutralizar movimentos de lançamento de uma candidatura alternativa à do grande periodista Merdoval Pedreira (UDN-RJ).

Setores da UDN, ao que parece insuflados pelo Faraó das Alterosas, teriam convencido o líder da seção canina da UDN, Sr. Cachorro-Lagosta, a candidatar-se à imortalidade acadêmica.

O Cachorro-Lagosta leu mais livros que a média do eleitorado da UDN.

O Cachorro-Lagosta ainda argumentou que leu mais livros que os jornalistas da Veja, mas não funcionou.

Esta jogada sórdida serviria para  desfazer a unidade udenista e colocar em risco a eleição do famoso jornalista de estimação do pres. Zezinho.

 

O Sr. Merdoval usou um forte argumento para convencer o pres. Zezinho a intervir: disse que era tão obediente quanto o Cachorro-Lagosta, com a vantagem de ter amigos em importantes órgãos da imprensa mais vendida do Brasil.

Comportamento intolerável

O divisionismo no regaço da UDN não poderia ser tolerado pelo Maior dos Filhos da Mooca, sempre comprometido com  a harmonia e concórdia nas hostes udenistas. Por isso, o pres. Zezinho resolveu agir com a habitual presteza.

ARGUMENTO SECRETO: A UDN nega, mas o Prof. Cesar trouxe Lassie para ajudar a convencer o Cachorro-Lagosta.

Consultou o Prof. Cesar Milan, Ph.D. orientador do Cachorro-Lagosta em seus estudos na Cornell University, que lhe explicou que o comportamento do cãozinho era intolerável e merecia uma reprimenda.

Então, o  Mais Genial dos Homens Públicos chamou o Cachorro-Lagosta à sua casa e deu-lhe comandos claros: “Senta! Fica! Finge de morto! Retira a candidatura!”

O simpático mascote da GRES Unidos da UDN obedeceu prontamente e ganhou um biscrok como prêmio.

Em nota à imprensa, a importante liderança udenocanina declarou que não guardava máguas da decisão do pres. Zezinho:

QUADRILHA: Importantes líderes das festas juninas da UDN ligaram para o Cachorro-Lagosta para agradecer e prometeram uma grande festa em homenagem ao udenocanino.

“Ele me convenceu que era o melhor para nossa matilha e eu apenas segui meu instinto e obedeci o nosso macho-alfa; estou muito feliz por fazer parte desta matilha e por ser liderado pelo Maior dos Brasileiros”, disse o Cachorro-Lagosta.

Comentário da tia Carmela

A tia Carmela disse que não aguenta mais ver o Cachorro-Lagosta ser humilhado toda hora pelo Zezinho, que só coloca o cachorrinho em roubadas, como ser presidente da UDN, mas que, quando o osso é bom, sempre tira da boca do Cachorro-Lagosta para oferecer para seus outros animais de estimação.


Pres. Zezinho garante apoio da UDN a Merdoval

27 de março de 2011

O Sr. Merdoval Pedreira obteve grande reconhecimento por sempre acertar suas análises.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, declarou apoio à candidatura de seu porta-voz, Sr. Merdoval Pedreira, à Academia Global de Letras, Números e Risquinhos (AGL).

O Presidente de Nascença resolveu entrar de Majestoso Encéfalo na campanha e garantiu ao Sr. Merdoval o apoio entusiasmado da UDN à candidatura.

Imediatamente, os grandes próceres intelectuais da agremiação passaram a se envolver desinteressadamente no movimento, em gratidão ao grande nome do rental journalism no Brasil.

Em artigo publicado na imprensa paulista, o ex-sábio FHC destacou a contribuição do grande jornalista de programa às letras, números e risquinhos brasileiros.

Ele merece! Merdoval já foi premiado pela imprensa dos States.

Segundo o ex-intelectual, o Sr. Merdoval Pedreira sempre demonstrou uma capacidade de análise invejável, que lhe granjeou reconhecimento internacional, como quando os líderes da imprensa livre lhe outorgaram o Prêmio Cabot do Ano , honraria antes destinada aos maiores nomes da imprensa democrática brasileira: Carlos Lacerda, Roberto Marinho, Miriam Cochonne, Filhote de Frias, Clovis Rossi e Gilbertinho da Vila.

O ex-literato Ferreira Gulag também teceu rasgados elogios à obra do Sr. Merdoval. Segundo o ex-poeta, a literatura merdovalina compreende as mais belas páginas escritas no idioma de Camões desde Carlos Lacerda.

Contrariando expectativas de que envolveria apenas os intelectuais, a campanha do Sr. Merdoval Pedreira tornou-se objeto de mobilização das massas. Até os udenistas ainda não civilizados, como o Cacique Merendinha, tornaram-se entusiasmados apoioadores da candidatura do grande analista de ocasião.

Apoio da Comunidade Internacional

A vencedora candidatura do Sr. Merdoval Pedreira já reúne apoios internacionais. A Secretária para Assuntos Israelenses dos EUA, Mrs. Clinton, declarou solenemente: “Hoje, há duas grandes aspirações da comunidade internacional: por a mão no petróleo da Líbia e eleger Merdoval Pedreira para a AGL”.

Preferência: O Sr. Merdoval Pedreira sempre gostou de um fardão.

Segundo fontes da embaixada dos EUA , a declaração de Mrs. Clinton seria uma forma de tentar reverter o desagrado de Merdoval com a visita imperial ao Brasil.  O grande democrata da imprensa brasileira teria ficado decepcionado com a postura do  Imperador durante a visita: “A insistência com que ele se referiu à superação da ditadura militar no Brasil pela ação de pessoas que, como a presidente Dilma Rousseff, resistiram em defesa da democracia, (…), soou anacrônica e fora de próposito”.

A dura crítica tirou várias noites de sono do Imperador, que já saíra do Brasil com a cabeça doendo por causa do derretimento de D. Michelle pelo reprodutor FHC.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: A UDN fez uma festa junina em homenagem à candidatura do Sr. Merdoval.

O Zezinho sempre gostou desse negócio de academia de letras. Quando ele estava no científico, a diretora da escola dele resolveu criar uma academia de letras do colégio. Só seriam membros da academia os dez primeiros colocados no concurso de poesia. O Zezinho queria fazer parte, mas, como tinha vergonha de escrever poesia, resolveu que o Reinaldinho Cabeção entraria no lugar dele. Então, o Zezinho mandou o Reinaldinho Cabeção fazer uma poesia. O Reinaldinho Cabeção sempre gostou de escrever e fez uma poesia de três páginas, que terminava dizendo: “Desta escola, tenho certeza / Um irá se destacar / É o Zezinho, que beleza / Ele vai nos governar!” O Reinaldinho Cabeção ficou em último lugar e a escola inteira riu da cara dos dois. O Zezinho ficou muito bravo com o Reinaldinho Cabeção e, enquanto dava uns croques na cabeça dele, dizia: “este barulho dos croques na sua cabeça de vento é poesia pura!”