Revoltante: bichos são tratados como pobres em São José dos Campos

23 de janeiro de 2012
   
Causou revolta em Higienópolis a maneira como a polícia tratou cães e gatos durante a desocupação do Pinheirinho. Um verdadeiro absurdo, corrigido a tempo pelo Barão de Pindamonhangaba.
  

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, precisou interromper ontem suas orações matinais, em missa  em que pedia ajuda divina para que sua casa não caia.

O motivo foi uma manifestação em frente ao Retiro do Udenista (Caverna do Ostracismo, fundos, Higienópolis), pedindo que o Presidente de Nascença intercedesse junto a seu muy amigo, Sr. Geraldinho do Vale, contra as atrocidades que estavam sendo cometidas em São José dos Campos.

BRUTALIDADE: Perigoso pobre tentou usar cachorro indefeso como refém, mas a polícia salvou o cachorro e expulsou o bandido.

Segundo relatos, os animaizinhos presentes estavam sendo mal-tratados durante uma cotidiana operação policial para limpar o  terreno de um prócer da nação, em localidade conhecida como Pinheirinho. O terreno estava contaminado por uma perigosíssima súcia de pobres sem-teto.

Inferno e massacre

Ao que consta, os pobres animaizinhos estavam sendo enxotados de suas casas, sem nem mesmo poderem levar suas caminhas, brinquedos, ossinhos e tijelas de água e comida. “Nunca vi tratar um animal dessa maneira”, disse uma das lideranças da manifestação em frente à Caverna do Ostracismo. “Onde já se viu, a polícia confundir os bichinhos com essa gente fedorenta que profana a propriedade privada?”, teria dito outra.

Na confusão, não se podia mais diferenciar quem era bicho, quem era pobre.  Os infelizes bichinhos corriam desesperados em meio às bombas que a PM atirava para ensinar democracia à ignorante massa de pobres que infestava o lugar.

HUMILHAÇÃO: Animais presos junto a perigosos pobres no campo de concentração..

Animais idosos,  doentes, filhotes e prenhes foram obrigados a sair de suas casinhas pelos policiais.  Houve também relatos de que os policiais  roubaram os celulares de alguns dos bichos, enquanto os expulsavam.

A atrocidadde da polícia foi tal que vários animais foram feridos por balas de borracha, mas as notícias sobre mortos ou feridos até agora são desencontradas. Entretanto, fontes seguras afirmam que pelo menos quatro animais foram atendidos em clínicas veterinárias da região, causando comoção na cidade.

Final feliz

Imediatamente, o Maior dos Filhos da Mooca ligou para o Capitão-Geral da Província de São Paulo, o Barão de Pindamonhangaba, que também interrompeu suas orações piedosas.

CARIDOSA: A Baronesa de Pindamonhangaba elogiou o campo de concentraçào que o Sr. Nahas Cury, prefeito de S. José dos Campos, preparou para os pobres que infestavam a área: "pouco com Deus é muito".

O Barão de Pindamonhangaba em poucos minutos tomou as providências. Ordenou  ao Capitão-do-Mato que chefiava a tropa da polícia que seus soldados tivessem cuidado para não atingir os bichinhos presentes com seus pequenos excessos. Sempre bom cristão, ensinou que os animais eram filhos de Deus e mereciam respeito. “Todo bicho tem direito a sua casinha“, teria dito o nobre valeparaibano.

ALÍVIO: Felizmente, os pequenos excessos da polícia não feriram nenhum bichinho, só uns pobres que insistiam em emporcalhar o local.

A brava polícia paulista, então, continuou a operação de rotina, mas sem atacar ou desrespeitar os bichos.

O feitor da cidade de São José dos Campos, Sr.  Nahas Cury, também tomou providências.  Mandou organizar um campo de concentração para isolar os pobres enxotados do terreno, com um moderno piso de lama e bastante calor humano.  Depois,  comandou pessoalmente uma operação de ajuda solidária aos animais que foram vítimas do mal-entendido da polícia.   A prefeitura deverá construir rapidamente um conjunto habitacional para os animaizinhos  Até lá, os bichos foram autorizados a continuar em suas casinhas até que seja encontrada uma solução final para o problema, pois seria uma desumanidade deixá-los sem teto.

Aplausos

Os eleitores infantis paulistas apoiaram em massa a ação da Tropa da Elite da UDN..

Ao final da tarde, toda a área estava desinfestada. O Barão de Pindamonhangaba anunciou que, assim como na Cracolândia e na Favela do Moinho, mais uma área está limpa desses terríveis invasores que ameaçam o progresso da Pátria Paulista.

Uma multidão de eleitores infantis paulistas saiu às ruas, no final da tarde de ontem, para saudar a sensibilidade do Barão de Pindamonhangaba,  da UDN, dos juizes R. Capivarez e Sifrônia Faria Matar e do feitor de SJC, Sr. Nahas Cury. Portavam faixas e cartazes de agradecimento pela limpeza urbana e pelo cuidado com os animais.

O aplauso à sensibilidade da UDN paulista e joseense ultrapassou as fronteiras da Locomotiva da Nação. A imprensa internacional deu cobertura ao caso, dando destaque à  bondade dos líderes da província. No dia de hoje, em vários locais de  do Brasil, estão programados atos de apoio às medidas do governo, da justiça e da polícia paulista em respeito aos direitos dos animais.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: A polícia paulista organizou uma festa junina no estilo da UDN para os pobres do Pinheirinho, mas teve que usar a força para fazê-los participar.

A minha tia Carmela não tem como  comentar.  Desde ontem ela só chora e repete: estou me sentido enojada. Nem conseguiu dormir, coitada.

Eu também estou enojado. É difícil fazer um texto deste tipo para denunciar um assunto tão sério sem parecer que se está brincando com a tragédia das pessoas.

Anúncios

O complô da polícia contra Serra

1 de novembro de 2009
Conspirador

Já se sabe quem é um dos líderes do complô. A Globo tomará providências.

O Guardião do Bem Comum, o sapientíssimo governador Zezinho, descobriu um terrível complô contra seu moralizante e revolucionário governo que já está transformando o Brasil em potência mundial: a polícia de São Paulo, transfomada num valhacouto de petistas, conspira contra o bem da nação, em coluio com favelados viciados na Bolsa Família implantada pelo usurpador do assento do Presidente de Nascença.

Um dos costumeiros insights de genialidade do Novo Bonifácio de Andrada fez-lhe perceber a conspiração, entre uma tuitada e outra. O Presidente Perfeito ligou dois fatos:

1) Três incidentes parecidos em três pontos distantes uns dos outros na cidade de SP: conflitos entre polícia e moradores das favelas  Paraisópolis, Tiquatira e Heliópolis.

Mercenários tentam semear a cizânia entre os homens bons

O gov. Zezinho suspeita de fogo amigo.

Nos três casos, mercenários ignorantes que se vendem por uma cesta básica utilizaram o pretexto de realizar protestos  contra o que chamaram de arbitrariedade policial, por conta do tratamento diferenciado que recebem por serem naturalmente suspeitos de crimes, para fazer a semeadura do caos nas ordeiras terras dos bandeirantes.

Nos três casos, chamou a atenção do Paladino da Concórdia Nacional a atuação patética da polícia. Apesar da voz serena e responsável da grande imprensa haver apontado que os moradores eram manipulados por traficantes, os episódios renderam críticas ingratas ao Mais Diligente dos Governantes.

2) O aumento das estatísticas da violência no terceiro trimestre de 2009.  Roubos, sequestros e latrocínios cresceram assustadoramente, segundo os números da própria polícia. O Governador sentiu-se aliviado porque ao menos um indicador melhorou: o roubo a bancos diminuiu.

O Mais Sincero dos Servidores do Povo, percebendo a armadilha que lhe armavam, imediatamente solicitou ajuda de seus  amigos. Convocou uma reunião de emergência.

Os  deputados federais criptoruralistas Arnaldo Madeira e Carlos Sampaio, do PSDB-SP, chegaram à audiência do governador trazendo uma caixa de laranjas cada um. Junto, eram portadores da notícia de que o nefando conjuro incluía também a subversiva invasão de terras federais legitimamente griladas pela Cutrale, realizada pelos inimigos da prosperidade da nação cobertos pela vermelha bandeira do MST. Tal ato demonstra que a cruel conspiração tem também a participação dos criminosos da Via Campesina e do  MST, conforme documento já encomendado à Folha de S. Paulo.

O deputado Arnaldo Madeira

O deputado Arnaldo Madeira no momento em que alertava o governador Zezinho: o MST está atentando contra a democracia e o direito à grilagem.

Um especialista tucano em segurança pública foi enviado diretamente do Rio Grande do Sul pela sua correligionária preferida, a cleptogovernadora cleptotucana Yeda Crusius, especializada em resolver conflitos com o MST.  Segundo o powerpoint do especialista,  os favelados e os falsos trabalhadores rurais organizaram os atos badernosos com o apoio de um grupo de militantes esquerdistas que opera com o nome de Os Aloprados e que possui diversos agentes infiltrados no comando das polícias civil e militar do estado. Estava comprovado ser, de fato, um enorme complô contra o Gênio da Promoção do Desenvolvimento, unindo a polícia e os moradores de algumas das maiores favelas de SP, além do crime organizado, os petistas e o MST. A equipe de contrainformação colocada à disposicão pela Rede Globo informou  a realização de  uma reunião secreta do complô, no estádio do Morumbi.

Convencido da traição contra sua sabedoria, O Homem Talhado para Levar o Brasil ao Século XXII decidiu agir rapidamente. Solicitou ao seu assessor de imprensa de estimação , o jornalista Reinaldinho Cabeção, uma nota pública a ser veiculada em rede nacional pela revista Veja. Diz a nota:

A polícia de São Paulo está  dominada por perigosos petistas infiltrados. Um complô terrível faz com que a segurança pública de São Paulo venha enfrentando problemas inadmissíveis. Não fosse isso, o governador, na condição de ser O Mais Preparado dos Brasileiros, já teria conseguido corrigir as deficiéncias da polícia, fazendo com que ela se tornasse um reflexo de sua competéncia inegável. Sendo O Mais Democrata dos Democratas, jamais aceitaria que seus subordinados tratassem com violência e preconceito os desvalidos da sociedade. Sendo Defensor das Prosperidade dos Paulistas, jamais permitiria que os preciosos bens da população ordeira e trabalhadora fossem-lhe subtraídos pelos vagabundos que vêm para este estado roubar e estragar o sistema educacional. Sendo o Demiurgo do Progresso Nacional,  jamais toleraria a complacência da polícia com o ataque aos legítimos interesses econômicos dos citroempreendedores bandeirantes. O governador pede a todos os paulistas que se mantenham calmos neste momento de transe. A Rede Globo, os jornais paulistas e a Vejinha já foram mobilizadas para destruir o complô, nem que seja preciso recorrer à presidência do STF.

Após a divulgação da nota, o Mais Paulista dos Filhos da Móoca decidiu acelerar o processo de privatização da segurança pública no estado. Foi constituído um grupo de trabalho para discutir o tema, coordenador por Zuzinha Covas, Barjas Negri e o Senador Tasso Jereissati.

Comentário da Tia Carmela: Já falei pra você que o Zezinho nunca gostou muito de pobre. Lembra da história do Baianinho, que dormia embaixo da marquise e ele queria que o guarda noturno expulsasse da rua?  Depois o Zezinho ficava falando na rua que o Baianinho e o guarda noturno tinham um complô contra ele. Na verdade, não foi a primeira vez. O Zezinho sempre achou que faziam complô contra ele. Uma vez foi reclamar com a diretora do grupo escolar, porque os meninos da sala tinham ido caçar passarinho lá pros lados da Penha e não chamaram ele. Ele falou pra diretora que eles estavam “conspirando contra ele”. A diretora caiu na gargalhada e o Zezinho passou a dizer que ela estava conspirando contra ele, também…


Mais um filme que Serra vai proibir: Salve Geral

20 de setembro de 2009

Nem bem foi anunciado o filme brasileiro indicado para competir pelo Oscar neste ano, e o Maior dos Grandes Homens, o Presidente Ainda Não Empossado e governador da Locomotiva da Nação, José Serra, já ordenou uma mega-operação para proibir sua exibição em todo o universo. Trata-se do filme Salve Geral, de Sérgio Rezende, estrelado por Andréa Beltrão. O filme apresenta os momentos de  terror que  a cidade de São Paulo experimentou em maio de 2006, com uma série de ataques do grupo criminoso PCC – Primeiro Comando da Capital, cujo líder, o famoso Marcola, já há vários anos assumiu a Secretaria de Assuntos Penitenciários do governo estadual.

Modesto, o Grande Homem da Política Brasileira não deseja que o filme seja exibido porque  mostraria toda a grandiosidade do Estado de São Paulo em mais um aspecto: a segurança pública, esse orgulho dos cidadãos paulistas e paulistanos. O governador confidenciou que se sentiria constrangido junto a seus colegas governadores se eles vissem o filme, pois se impressionariam e se sentiriam diminuídos, ao constatar a grande competência dos sucessivos governos estaduais tucanos na condução dos negócios relacionados com a segurança e as prisões.

Já experiente em proibições, O Invejado pelas Páginas das Enciclopédias pretende repetir a operação realizada há poucos dias, para proibir o filme “A Queda”, em que Adolf Hitler representava um candidato presidencial derrotado.

O Mais Preparado dos Seres Pensantes pretende contar também com o apoio dos seus assessores de comunicação da empresa    Frias, Mesquita, Marinho, Saad & Associados, que já tiveram grande sucesso na proibição de qualquer menção ao nome do PCC na imprensa paulista, substituindo o termo PCC por “facção criminosa que opera nos presídios do estado de S. Paulo”.  Jornalistas que utilizarem as três letrinhas em matérias podem ser condenados a lavar a boca com sabão.

Comentário da Tia Carmela: O Zezinho nunca gostou muito de cinema. Uma vez, lá na Móoca, não queria deixar nenhum menino da rua ir assistir um filme do Mazaroppi chamado “O Corinthiano”, só porque o Zezinho era palmeirense. Os meninos que foram, ele virou a cara pra eles e não deixava mais eles jogarem futebol de botão com ele.


Anistia Internacional denuncia Polícia comandada por Serra

28 de agosto de 2009

Em seu afã por reconhecimento internacional, o Iluminado Homem Que Governa São Paulo conseguiu mais um tento. Agora  entrou para a lista de denunciados pela Anistia Internacional, em companhia de seu fiel escudeiro, o ex-secretário de planejamento de Celso Pitta e atual prefeito, Gilberto Kassab.O motivo da denuncia é a ação de expulsão de sem-teto de um terrreno no Capão Redondo, periferia de SP, pela polícia. A expulsão dos ocupantes do terreno, famílias muito pobres e em geral de origem nordestina, foi brutal e seguiu a mesma prática adotada contra os estudantes e funcionários da USP: violência e bombas de gás lançadas sobre pessoas desarmadas. É a prática de lidar com a questão social do governo do Mais Preparado dos Brasileiros, como já se sabe. E, agora, motivo de orgulho para todos os paulistas!

Veja a denúnica no site da Anistia Internacional e comentários de Paulo Henrique Amorim.

O reconhecimento internacional gerado por essa  nova vitória das forças policiais de Serra contra inimigos indefesos soma-se a outro grande feito recente: a premiação fajutamente atribuída à ONU, mas de fato promovida por uma acusada de desviar recursos da construção de  maternidades.


Comentário da Tia Carmela: O Zezinho nunca gostou muito de gente que mora na rua. Lá na Móoca, antigamente, tinha um moço bonzinho, que todo mundo chamava de Baianinho mas que era, na verdade, de Pernambuco. Ele era muito pobre e não tinha casa. Quando ficava sem trabalho e não tinha mais como pagar a vaga na pensão,  às vezes dormia de favor na oficina do seu Firmino, às vezes dormia na rua. Um tempo ele estava dormindo toda noite embaixo de uma marquise de uma loja desocupada. E o menino Zezinho foi falar com o vigia noturno para tirar ele de lá, porque estava enfeiando a rua. Levou uma bronca danada da mãe dele, que era uma pessoa muito correta… A finada dona Serafina ralhou com ele dizendo: “Onde já se viu tratar mal as pessoas só porque elas são pobres!”… Mas a partir desses dia ele sempre tratava mal o coitado do Baianinho, que não fazia mal a ninguém…