Boneca inflável da UDN vira musa da democracia paraguaia

7 de julho de 2012

MODELO PARA AS AMÉRICAS: Secundada pelo capataz Monfranco, a boneca inflável prometeu à TV local total que a UDN lutará até o último centavo contra a entrada da Venezuela no Mercosul

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, enviou  hoje mensagem a Disneylândia, avisando que a missão enviada pela UDN para saudar o novo capataz do Paraguai foi um sucesso.

Prometida há alguns dias pelo Presidente de Nascença, a missão udenista foi a primeira delegação internacional a prestar homenagem à nova era da democracia paraguaia.

O objetivo da missão da UDN foi levar a solidariedade dos moradores da Caverna do Ostracismo ao recém-empossado capataz da República Transgênica do Paraguai, sr. Francisco Monfranco.

HOMENAGEM A STROSSNER: A boneca inflável da UDN depositou flores no túmulo do grande ícone da democracia paraguaia.

A missão da UDN ao país irmão foi chefiada pela líder da ala das bonecas infláveis da UDN, Bianca Dias.

Toda catota, a boneca inflável exibiu seu novo visual na recepção de gala oferecida pelo capataz. Sabedora de sua responsabilidade, trocou a cor do cabelo e botou um botox novo.

O poeta romano Virgílius também integrou a missão, e fez uma leitura dramática da nota oficial da UDN apoiando o golpe que levou o capataz ao poder.

Aplaudidíssimo, Virgilius chorou ao final da leitura do poema, sendo consolado pelo proconsul Agripinus, que aproveitou para propor ao novo capataz um negocinho de inspeção veicular em Ciudad del Este.

SEGREDOS UDENISTAS: O pres. Zezinho (DIREITA) não abre mão dos segredos que a Srta. Francine De L’Herbe constuma dizer aos seus ouvidos.

Estiveram presentes todos os altos dignitários da terra de Yparacai, exceto o zagueiro palmeirense Román e a principal autoridade do país, o Gerente Geral da Monsanto no Paraguai. Ele havia prometido participar do evento, mas acabou não indo porque teve que levar seu cachorro para passear.

Mal estar

No início da solenidade, uma gafe do cerimonial paraguaio quase pôs tudo a perder.

O mestre de cerimônias leu errado o nome da boneca inflável, confundindo-a com a Srta. Francine De L’Herbe, candidata-auxiliar do Mais Preparado dos Brasileiros na eleição deste ano.

As negociações iniciais da visita consideravam que a delegação da UDN seria chefiada pela Srta. Francine De L’Herbe, daí a falha. A boneca inflável foi escolhida porque o pres. Zezinho recusou-se a autorizar a ida de sua assessora para assuntos de downloads e uploads, por conta das eleições municipais, que demandarão seu infatigável trabalho de menina de recados do Maior dos Filhos da Mooca.

O capataz Monfranco ficou decepcionado e comentou com alguns capangas: “me gustaba mas que hubiese venido la De L’Herbe; es demócrata igual que nosotros y esta mejor que esta muñeca inflable, que tiene tan demasiado botox, que ya no se le queda firme em la cara”.

MODÉSTIA: A boneca inflável louvou a sabedoria dos donos do Paraguai em não ter imposto de renda no país: “pelo mesmo motivo, eu não costumo declarar minhas fazendas”.

Resolvido o mal-estar, o capataz mostrou-se gentil e encantado com os dotes democráticos da boneca inflável, a quem fez outorgar o título de Musa da Democracia Paraguaia. A boneca inflável quase estourou de satisfação.

OBEDIÊNCIA e ORGULHO: A boneca inflável da UDN atendeu aos apelos de seu líder.

Agenda oculta

Logo após o anúncio do sucesso da missão, notícias desencontradas começaram a correr. Dos caudalosos esgotos fétidos da Caverna do Ostracismo jorravam versões que diziam que havia um objetivo oculto na viagem da delegação chefiada pela boneca inflável.

Algumas fontes udenistas afirmam que a delegação tinha como objetivo real tomar algumas aulas de democracia para reproduzir em sua volta ao Brasil.

Outras fontes com trânsito e tráfico na Caverna do Ostracismo asseguram que a viagem, na verdade, foi para tratar de detalhes de uma operação secreta da UDN, liderada pelo Almirante do Tietê: a operação Caracu.

A operação tem como objetivo permitir o  estabelecimento do Acordo Caracu EUA-América do Sul, no qual os EUA entrariam com a primeira parte.

O acordo seria uma versão ampliada do Acordo Caracu EUA-Brasil, que tem sido sistematicamente boicotado pelos usurpadores do planalto. Neste acordo, o Brasil entraria com a retaguarda.

QUADRILHA: O capataz prometeu participar de uma festa junina quando for visitar o Brasil no futuro governo do pres. Zezinho. Ele e seus capangas Já estão ensainado para participar da dança típica.

A adesão do Paraguai é considerada vital pelo diretor do departamento de Acordos Caracu da Disneylândia, Sr. Ricardo Zúñiga. Ao que parece, o novo capataz paraguaio já antecipou que a parte paraguaia do acordo já está à disposição, e só espera os EUA entrarem logo com sua parte, que será a mais dura.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho sempre gostou de gente sem nenhuma noção do ridículo.

Anúncios