Pres. Zezinho parabeniza Obama pelo acordo

1 de agosto de 2011

Acordo de Obama só foi possível graças às orientações do pres. Zezinho.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, enviou hoje mensagem ao Sr. Obama, cumprimentando-o pelo sucesso no acordo da dívida dos EUA.

BOM EXEMPLO: O pres. Zezinho elogiou a postura altiva do Imperador na negociação com os republicanos.

Em sua mensagem, o Presidente de Nascença elogiou a sabedoria do Imperador na solução da crise que envolvia o Grande Irmão do Norte.

Segundo o Maior dos Filhos da Mooca, o Imperador tomou medidas corretíssimas previstas na cartilha econômica da UDN.

ECONOMIA: O Imperador jurou que não vai mais gastar dinheiro em bobagem, para sobrar para o essencial.

O Almirante do Tietê manifestou especial satisfação com o compromisso do Imperador com o corte de gastos sociais e com a manutenção de impostos baixos para os mais ricos.

Privadamente, o Maior dos Homens Públicos comentou com seus assessores que faltou apenas a privatização da Estátua da Liberdade e do Capitólio, para a total correspondência com o novo programa da UDN, que prevê a privatização do Oceano Atlântico e do Rio Amazonas.

Conselheiro especial

Fontes da Caverna do Ostracismo, fundos, informaram que o pres. Zezinho teve um papel importante na costura do acordo da dívida dos EUA, atuando como o mais importante conselheiro do Imperador, que chegou a ligar-lhe três vezes no último domingo, em busca de orientações econômicas.

Modesto, o Maior dos Economistas tem procurado manter sigilo sobre sua contribuição, e já recusou o Prêmio Nobel de Economia que lhe foi oferecido nesta manhã.

As mesmas fontes informam que, como prova de gratidão, o Imperador mandou ingressos para a Disneylândia para o pres. Zezinho levar sua filhinha.  O também Imperador agradeceu os conselhos decisivos e prometeu a maior das recompensas para o Presidente de Nascença: voltar à carga para a assinatura do maior dos projetos do  pres. Zezinho, o Acordo CARACU EUA-Brasil, no qual os EUA entrarão com a primeira parte.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: Os eleitores infantis paulistas fizeram uma bela festa junina para comemorar o apoio do pres. Zezinho ao acordo da dívida dos EUA.

O Zezinho sempre gostou de cumprimentar os outros. Uma vez, quando ele estava na escola, ele ficou atiçando dois meninos para  brigarem na saída. Espalhou para todo mundo que o Nicola tinha xingado a mãe e as irmãs do Roberto, filho do Seu Núncio, o jornaleiro. O Roberto foi tirar satisfação com o Nicola, que disse que não tinha feito nada, aí o Roberto foi perguntar pro Zezinho qual era a verdade. O Zezinho, que queria ver os dois brigando porque não gostava do Nicola, que tirava notas melhores que as dele, disse que o Nicola tinha falado sim, e que agora ainda estava espalhando que o Roberto tinha arregado, que ficou com medo de apanhar dele. O Roberto acreditou e esperou o Nicola na saída. O Nicola, que era o mais fraquinho, levou só um tapa e logo saiu correndo e chorando. A molecada toda ficou rindo dele, dizendo que era cagão. Ele ficou com tanto medo e tanta vergonha que nem conseguiu ir à escola no resto da semana.  O Zezinho, então, pegou umas frutas amassadas ou estragadas que o pai ia jogar fora, fez um cesto e colocou um cartão escrito: “Parabéns pela sua coragem. Você é um exemplo para todos nós.”  E deixou na porta da casa do Nicola…