Filósofo aquático é recebido com honras na Caverna do Ostracismo

11 de julho de 2012

PLANOS PARA O FUTURO: O pres. Zezinho (DIREITA) declarou que Δημοσθένης será seu candidato a vice na eleição de 2028.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, cancelou toda a sua agenda de hoje, inclusive a reunião com João Bafo-de-Onça e Tio Patinhas para discutir a participação desses famosos heróis nos materiais de sua já vitoriosa campanha-treino deste ano.

O Presidente de Nascença desmarcou o compromisso com seus companheiros do mundo dos gibis para participar de importante solenidade no Retiro do Udenista (Caverna do Ostracismo, fundos, Higienópolis).

Trata-se da festa de recepção do novo morador da Caverna do Ostracismo, o filósofo greco-goiano Δημοσθένης, expoente da Escola dos Pós-Cachoeiráticos, importante escola filosófica da pólis Anal.

O ex-pensador FHC comprou uma fantasia nova para participar das tertúlias com Δημοσθένης.

Agito intelectual

O evento promete sacudir Higienópolis nesta noite. Milhares de eleitores infantis paulistas já se acotovelam na entrada da Caverna do Ostracismo, à espera do filósofo aquático. Muitos portam cartazes com fotos do sábio e faixas com dizeres como “Δημοσθένης, exemplo para todos nós” ou “UDN paulista saúda o grande líder Δημοσθένης.”.

Muitos próceres da UDN preparam suas homenagens ao grande pensador. Além do discurso de saudação do Almirante do Tietê, o evento será abrilhantado pelo filósofo Agripinus, da Escola dos Rabodepalhistas, que fará uma resenha panegírica da obra do grande Δημοσθένης, mostrando que, a despeito dos logros produzidos pelas aparências, tudo na natureza muda, menos o caráter dos udenistas de escol.

O filósofo Policarpolous Quaresma Jr., também da Escola dos Pós-Cachoeiráticos, comparecerá representando a famiglia que controla a Revista Mais Vendida do Brasil, e fará um discurso demostrando que as acusações contra Δημοσθένης são descabidas e que o PT é responsável pela seca que atualmente assola as cachoeiras do Centro-Oeste.

CICERONE: O filósofo Heráclito (UDN-PI), da Escola dos Batráquios, mostrará a Δημοσθένης seus aposentos na Caverna do Ostracismo.

O imortal jornalista de programa, Sr. Merdoval Pedreira, da Escola dos Pigóicos, também prepara uma ode filosófica aos grandes feitos de Δημοσθένης. Intitulada “Ode ao Homem Moral”, deverá ser lida pelo ator Carlos M. Beleza, que virá no mesmo disco-voador fosforescente dos informantes da boneca inflável Bianca Dias.

Caetano, o cozinheiro da Caverna do Ostracismo, da Escola dos Sensacionalistas, prometeu fazer um jantar vegetariano especial para Δημοσθένης: “ele anda meio enjoado de bicho, mas não abre mão de umas verdinhas”, teria dito o ex-gênio.

ANGÚSTIA: O pres. Zezinho e seu amigo Aloysio Biggs de Olivieira temem que o filósofo Paulo Caixa Preta Dois, da Escola do Propinóicos, perca o controle e aja irracionalmente.

Apreensão

Apesar da euforia com a chegada do grande filósofo especialista em matérias de ética e moral, há um clima de apreensão entre udenistas graúdos. Muitos temem que Δημοσθένης fique pouco tempo na Caverna do Ostracismo. Circulam boatos de que ele poderia transferir-se para o Centro Filosófico da Papuda, no DF, onde o grande líder de sua escola está hospedado.

Dos caudalosos esgotos filosóficos da Caverna do Ostracismo jorram outras versões.

Outras fontes daos meios udenistas comentam à boca miúda que o próprio pres. Zezinho tem demonstrado apreensão. O Maior dos Sábios do Brasil estaria preocupado com os recentes debates da Escola dos Pós-Cachoeiráticos. O medo do pres. Zezinho é que o seu assessor para assuntos propinoviários, sr. Paulo Caixa Preta Dois, da Escola dos Propinóicos, empolgado com os debates Pós-Cachoeiráticos, distraia-se e deixe vazar água no Congresso, o que poderia fazer a casa do Presidente de Nascença cair.

QUADRILHA: Em homenagem a Δημοσθένης, a UDN preparou uma simpática festa junina com trajes gregos.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho sempre gostou de filosofia. Quando ele era criança, gostava de chamar os moleques para brincar de filósofo. Ele pegava uns lençóis da mãe, se enrolava e ficava andando pelo quintal falando coisas muito sábias. Enquanto isso, os moleques tinham que ficar sentados, fazendo cara de espanto e ouvindo ele falar. De vez em quando, ele fazia uma pergunta para algum moleque e, como o garoto não tinha como saber, o Zezinho chamava ele de burro, idiota e ignorante. Depois de uns dez minutos, nenhum moleque queria mais brincar daquilo, mas o Reinaldinho Cabeção sempre queria continuar. Às vezes, eles ficavam a tarde inteira brincando de filósofo. Quanto o Zezinho cansava e acabava com a brincadeira, o Reinaldinho Cabeção sempre dizia: “Puxa, Zezinho, você é tão sabido! Você deve ser o maior filósofo do mundo!”