Os anos mais felizes de nossas vidas 2 – A escola

5 de abril de 2010

Apesar de ter-lhes deixado como sucessor GOLDMAN, o super-herói, o Mais Preparado dos Brasileiros, o governador Zezinho, também deixou no coração dos paulistas uma imensa saudade daquele período que foi o mais radioso da história da Pátria Bandeirante.

O jornalista Reinaldinho Cabeção (primeiro plano) comandou manifestação de agradecimento ao gov. Zezinho pela maravilhosa educação pública paulista.

Desde o afastamento do Presidente de Nascença do timão da nau de Martim Afonso de Souza, os paulistas puseram-se saudosos e comentam entre si: aqueles tempos do governo do Mais Genial dos Homens Públicos foram os anos mais felizes de nossas vidas.

Em seus devaneios nostálgicos, os paulistas recordam-se das escolas. O governador Zezinho fez mais pela educação paulista que todos os seus antecessores juntos, desde o Pe. Anchieta.

Nas suas lembranças, os agradecidos paulistanos não deixam de iluminar com a lâmpada do orgulho o incomparável desempenho escolar dos alunos paulistas. O rendimento escolar é tão espantoso que as escolas particulares têm sido obrigadas a oferecer brindes, descontos e viagens à Disney para manter seus alunos, tamanho êxodo tem se registrado.

As endinheiradas famílias da elite quatrocentona retiram seus filhos dos colégios tradicionais  para as escolas públicas da periferia paulistana.

Também a classe média, seguindo a recomendação da Revista Mais Vendida do Brasil, a Veja, retira em massa seus filhos das custosas escolas particulares de bairro, tão excelente é a educação pública paulista.

Os 5 Segredos da Educação Paulista: powerpoint de empresa de consultoria contratada pelo secretário de educação e serviços gráficos.

Pode-se atribuir a inexcedivel qualidade da educação paulista a cinco grandes princípios implantados pelo governador Zezinho:

  1. A valorização dos professores, que, agradecidos, têm feito diversas manifestações públicas, com milhares de mestres, para agradecer ao Mais Brilhante dos Educadores pelas medidas de estímulo à carreira, pelos altos salários e pelo vale-refeição que chega a comprar uma coxinha, em lugares mais baratos. Tão valorizada é a carreira, que gerou um novo problema: os policiais estão mudando de profissão e tornando-se professores.
  2. A nomeação apenas de pessoas com extraordinária capacidade de gestão, como é o caso de seu secretário de educação e serviços gráficos, Paulo R. Gates de Souza, cujo talento para a gestão só é comparável ao do do Mais Competente dos Gestores, conforme demonstrado na agilidade de procedimentos e no cumprimento de metas e prazos.
  3. A preocupação com a qualidade das instalações das escolas, propiciada pela competência e domínio da boa técnica pelo Mais Capacitado dos Engenheiros. Assim, foi possível oferecer às crianças conforto, recursos de informática, segurança e um ambiente propício ao aprendizado.
  4. O oferecimento de material didático de alto nível, trazendo conceitos revolucionários no ensino de várias disciplinas, como a geografia e a educação moral e cívica.
  5. E, mais que tudo, uma inigualável postura ética, tão bem representada pelo referido secretário de educação e serviços gráficos, Paulo R. Gates de Souza. Uma anônima cidadã, embevecida diante de tanta ética, moralidade e probidade, criou um site na internet para imortalizar os maravilhosos exemplos.

Não é sem motivo, portanto, que os paulistas podem se dizer tão jubilosos e repetir que estes foram os anos mais felizes de nossas vidas.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho sempre gostou de escola. Tanto que ele saia mais cedo do que precisava para ir à escola, e dizia para a mãe que ia chegar antes porque gostava da escola e ia ficar estudando antes da aula. Na verdade, ele chegava mais cedo para preparar com os amiguinhos deles as artes que eles iam fazer naquele dia: colocar tachinhas nas carteiras, sujar os banheiros das meninas, colocar chiclete na mesa da professora, essas coisas…


Os anos mais felizes de nossas vidas – 1

31 de março de 2010

Os paulistas agradecem: o gov. Zezinho nos fez outras pessoas.

Como um ano que termina em meio à primavera, acaba o período mais glorioso da história de São Paulo: a maravilhosa gestão do Mais Preparado dos Brasileiros, o governador Zezinho.

A população do estado, com um misto de orgulho, alegria e tristeza assiste à partida do maior de seus líderes do Palácio dos Bandeirantes.  Orgulho, por ter sido regida magistralmente pelo Mais Competente de Todos os Homens Públicos. Alegria, por saber que agora o Presidente de Nascença ocupará o lugar que é seu no firmamento Pátrio desde o Big Bang. Tristeza, por não ter mais a sabedoria do Maior dos Gestores a iluminar-lhe o caminho.

Esse verdadeiro canteiro de emoções viceja e nos brinda com uma flor chamada esperança. Esperança de um Brasil melhor, no qual o Genial Gestor das Multidões imprimirá sua marca de jardineiro fiel.

Caminhado pelas ruas da Capital, vê-se pessoas andando cabisbaixas. Senhoras choram. Os empresários paulistas, esses novos bandeirantes, perdem sua habitual sisudez honrada e caminham pela Avenida Paulista com lenços enxugando as lágrimas.

O Jardim Romano quer mudar o nome para Jardim Zezinho

Os moradores do Jardim Romano clamam aos céus: Deus, ó Deus, onde estás que não respondes? Em que mundo, em que estrela tu te escondes? E agora, Senhor, quem trará água e esgoto para nossas casas?!

Na Baixada Santista, os cidadãos que não estão com dengue alugaram uma kombi para trazê-los à Capital para prestar tributo ao Maior Paulista da História. Sua viagem foi mais demorada que o habitual, por causa das paradas para que os atingidos pela virose transmitida pelas águas da SABESP fossem ao mato. Mas isso não abalou sua felicidade e alegremente cantaram cantigas de júbilo ao longo do trajeto, até na hora da vaquinha para pagar o pedágio.

Os professores já não sabem o que fazer para externar sua gratidão ao governador Zezinho.  Organizaram hoje uma grande festa na Av. Paulista, que terminou em um almoço de gala ofertado a todos os passantes, custeado por seus astronômicos vencimentos.  Alguns, inclusive, já propoem que o currículo escolar seja mudado, com a criação de uma nova disciplina nas escolas: Vida, Obra e Pensamento do Governador Zezinho.

Mesmo os petistas mais renitentes admitiram, na internet, que este mandato foi cheio de realizações assombrosas.

Os deputados na Assembléia Legislativa só não aprovaram uma lei mudando o nome do estado para Zezinholândia porque o Grande Presidente Inato também é  o Mais Modesto dos Virtuosos e os impediu de prestar essa homenagem.

Nos congestionamentos, os paulistanos hoje soaram suas buzinas espontaneamente para saudar o Mais Perfeito dos Políticos.  Milhares de pessoas se reuniram nas plataformas do metrô e nos pontos de ônibus para render vivas ao Maior de Todos os Engenheiros.

Mas a demonstração de gratidão maior foi a que ouvi de um paulista anônimo: ESTES FORAM OS ANOS MAIS FELIZES DE NOSSAS VIDAS.

.

Comentário da tia Carmela

Já vai tarde.