CAMPANHA “LIBERTEM O HELIPÓPTERO!”

CAMPANHA “LBERTEM O HELIPÓPTERO!”

Mais uma injustiça envergonha o Brasil. Desde o dia 24 de novembro último, o helipóptero PO-2222 encontra-se injustamente preso na Polícia Federal do Espírito Santo, O aparelho foi preso de maneira arbitrária, acusado de comércio ilegal de talco.

REVOLTA: O helipóptero pergunta:  porque está preso se os trens de São Paulo estão soltos?

REVOLTA: O helipóptero pergunta: porque está preso se os trens de São Paulo estão soltos?

Acusação injusta
O helipóptero foi preso indevidamente, pois não teve nenhuma participação efetiva no episódio. Não foi ele quem autorizou o transporte, nem decidiu que o voo seria feito, nem foi ele quem abriu suas portas e colocou o talco dentro do compartimento de cargas. Também não foi o PO-2222 quem ligou seus motores, nem quem o dirigiu.

Para prendê-lo, seus acusadores usaram a Teoria do Domínio do Globo, que diz que, quando o Presidente do STUDN (Supremo Tribunal da UDN) Min. Merdoval Pedreira, assim o determinar, deve-se  colocar a culpa em alguém partindo apenas de suposições, caso o acusado não seja da UDN (WEBER, M., 2013). Os doutrinadores dessa teoria dizem que cabe ao acusado provar sua inocência, e não os denunciantes provarem sua culpa (FUCKS, L., 2013). Portanto, se o helipóptero não solicitou informações sobre a carga, e permitiu que a transportassem, ele é o culpado pelo comércio ilegal de talco.

Sem direito à defesa
A desafortunada aeronave declara inocência e queixa-se do abandono a que foi submetida desde a prisão. Seus proprietários contrataram para si um caro advogado especializado na defesa de meliantes renomados, mas deixaram-na abandonada à própria sorte. A Defensoria Pública não indicou ninguém para assistir o pobre helipóptero.

Tratamento cruel
O PO-2222 está submetido a tratamento cruel na cadeia, o que viola todas as normas de tratamento a presos.

Sem advogado e sem receber visitas, o pobre helipóptero queixa-se de estar passando fome na prisão: “até agora, ninguém veio encher o meu tanque; e olha que eu estava com o ponteiro quase na reserva, depois de viajar tanto”.

Outra flagrante violação dos direitos aeronáuticos do aparelho é a falta de manutenção. Segundo vários mecânicos que o examinaram, trata-se de um equipamento que foi submetido a um estresse grande, a uma longa viagem cheia de paradas, e, por isso, necessita de reparos e assistência técnica.

Entretanto, uma junta de mecânicos nomeada diretamente pelo grande amigo de Tancredo Neves, o simpático JB, negou que a autorização para manutenção e reparos do aparelho.

Fica evidente, pela crueldade do tratamento inflingido à humilde aeronave,  a intenção de autopromoção de seus desumanos carcereiros, por meio de práticas baseadas em humilhar, debilitar e promover a execração pública do helipóptero como se se tratasse de um petista qualquer, a quem não se aplicam a Declaração Universal dos Direitos Humanos, as convenções internacionais e a Constituição Federal.

A situação é ainda mais inadmissível porque, segundo o especialista Orígenes Lessa, os helipópteros são aeronaves de alma muito sensível.

Sem direito à liberdade de expressão
O PO-2222 foi proibido de receber visitas de jornalistas e de dar entrevistas, em uma prática muito pouco usual. As poucas notícias e declarações dele que têm chegado ao público foram obtidas de maneira clandestina, através de outros presos ou dos poucos visitantes autorizados.

Sem direito a trabalhar
O helipóptero tentou trabalhar, mesmo preso. Ofereceu-se para trabalhar como ventilador no saguão da sede da PF, ou como exaustor na cozinha da cadeia. Entretanto, seu pedido foi negado, e vários órgãos de imprensa chegaram a noticiar que, apesar de o ar da prisão ser um ar viciado,  o helipóptero estava apenas procurando um pretexto para decolar.

Entenda o caso
O aparelho foi capturado ao se flagrar em seu interior uma carga de cerca de meia tonelada de talco, totalmente irregular. O helipóptero declarou não saber do que se tratava a carga: “meu trabalho como helipóptero é levar o que colocarem no bagageiro; além do mais, o carregamento de talco estava embalado e não dava para ver o que havia dentro”.

Indagado sobre quem seria o dono do talco, o helipóptero respondeu: “o piloto é meu, o senador é meu, o deputado é meu, a fazenda é dos meus proprietários, mas o talco eu não sei de quem é…”.

A QUEM INTERESSA? Jornais prejudicam helipóptero ao se recusar a publicar notícias sobre o caso.

A QUEM INTERESSA? Jornais prejudicam helipóptero ao se recusar a publicar notícias sobre o caso.

O caso teve grande desrepercussão no meio jornalístico de programa nacional. As redações dos principais órgãos de imprensa udenista levaram dias para encontrar uma maneira de não noticiar o fato. Em Minas Gerais, estado de residência da aeronave e de seus proprietários, o principal jornal do estado fez uma capa especial para não noticiar o fato. Já o apresentador do principar telejornal brasileiro, Sr. William Homer,  levou dois dias para conseguir reunir forças para ler, totalmente constrangido, a notícia no ar.

A comunidade jurídica também se mobilizou de maneira danosa à aeronave. Vários juízes negaram-se a assumir o caso e dar habeas-corpus ao helipóptero. Um dos juízes chegou a remeter o caso ao Vaticano, sob a trêmula alegação de que “é lá que eles cuidam de coisas do céu”. Outro magistrado capixaba encaminhou o caso para o STJD, porque “é lá que se trata de assuntos relacionados a subida e descida”. Um terceiro juiz declarou-se impedido, por ser um colecionador de miniaturas de aviões e helicópteros e, portanto, tem vínculos muito fortes com o acusado. Outro magistrado desapareceu, e foi encontrado apenas ontem, escondido embaixo da saia da mãe. O acoelhado juiz apenas conseguia balbuciar “não é minha competência, não é minha competência”.

A classe política também não demonstrou nenhuma solidariedade ao sofrido aparelho. Nem mesmo Tancredo Neves, velho conhecido do helipóptero e de seus proprietários, levantou sua potente e respeitada voz na tribuna do Senado Federal. Talvez revoltado por descobrir que havia farinha misturada ao talco, o Faraó das Alterosas preferiu manter-se em silêncio, e guardou suas poucas palavras para expressar solidariedade aos donos da aeronave.

Esperança
Apesar de todas as injustiças cometidas contra ele, o helipóptero não desanima. Em meio à atribulação, ainda encontra forças para ter esperança e encontrar consolo para sua triste condição. com um sorriso amargurado no rosto, declarou:
“Pelo menos minha sigla é PO-2222. Se fosse PT-1313 a essa hora eu já estaria condenado à prisão perpétua ou a virar sucata…”

Seguindo seu exemplo, um grupo de brasileiros, homens e mulheres de bem, resolveram iniciar uma campanha para que os direitos do helipóptero sejam respeitados, e para que cessem sua prisão arbitrária e os maltratos

Participe você também da campanha LIBERTEM O HELIPÓPTERO!

Como ajudar

a) Espalhando a imagem-símbolo da campanha: Coloque a imagem da campanha em sua página do Facebook, no Twitter ou em seu blog; imprima e faça adesivos para colocar no seu carro ou em outros lugares.
b) Divulgue a campanha entre seus amigos: reproduza este post por e-mail ou no Facebook; converse com seus amigos, parentes e conhecidos.
c) Se você for professor de Direito, utilize o caso em suas aulas para mostrar o flagrante desrespeito aos direitos e às normas do Direito Penal.
d) Participe da vigília permanente em frente à sede das empresas da famiglia Pórrela, proprietária do helipóptero e que o deixou ao deus-dará no Espírito Santo.
e) Manode cartas e mensagem de protesto e indignação para:

STF: http://www.stf.jus.br/portal/principal/
Anistia internacional: http://anistia.org.br/contato
ABRAPHE – Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero: http://www.abraphe.org.br/
Procuradoria Geral da República: http://www.pgr.mpf.mp.br/
Ministro da Justiça http://www.mj.gov.br/
Tancredo Neves: http://www.senado.gov.br/senadores/dinamico/paginst/senador391a.asp
Cruzeiro Esporte Clube: http://www.cruzeiro.com.br

Anúncios

5 Responses to CAMPANHA “LIBERTEM O HELIPÓPTERO!”

  1. Cara Tia Carmela, sobrinhos, prováveis netos. Esperamos te ver em 2014 com força total. A turma do zezinho vai estar a todo vapor, além das reinações de narizinho. Este ano promete. Osculos e amplexos.

  2. Orvalho de Colavo - filósofo conspirador (ou conspirador filósofo, se preferir) disse:

    A manchete jornalística do estado di minas uai “Não aconteceu nada.Tudo está normal”, destoa de todas as outras manchetes de todos os outros pequenos, digo, grandes jornais brasileiros que investigam tudo, com isenção, responsabilidade e transparência, deixando seus iludidos, digo, submissos ávidos, leitores à mercê da verdade-verdadeira.

  3. Valter disse:

    Tambem concordo porem não era talco e sim MAIZENA!

  4. Jimmy Cricket™ - Guarujá – SP disse:

    ♫ Vocês tomaram muito chá de sumidela e o resultado foi que a gente esqueceu um pouco do blog, outrora tão trepidante, que anda meio parado. Mas vamos corrigir as coisas, voltando a comentar as notícias veiculadas aqui.
    No caso do helipóptero encarcerado, há rumores dando conta que Zé “Catota” Chirico anda assaz contentinho, esfregando as pat… , digo mãos, e mostrando as gengivonas a todo mundo. Francine de l’Herbe também tem se mostrado alegrinha. Seria por causa das tênues ligações entre Aébrio Never, o Tancredinho, e a famiglia Porrela? Aguardemos os desdobramentos…

  5. Paulo P. disse:

    Tia Carmela,

    Eu apoio essa campanha também!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: