Vaca Amarela Editorial: a nova mania da UDN

VACA AMARELA: A sra. Tucanhede jura que não disse nada.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, tem o poder de influenciar importantes veículos de comunicação em todo Brasil.
Agora, o Presidente de Nascença inspirou o surgimento de uma nova moda entre os sempre felizes e bem-humorados udenoperiodistas.
Trata-se da brincadeira Vaca Amarela Editorial, que é a nova sensação nas redações dos órgãos de imprensa mais vendidos do Brasil.

Regras
A ingênua brincadeira tem a singeleza das brincadeiras de um tempo bom que não volta mais. Para participar, basta apenas um livro, e as redações pasquiudenistas têm usado a biografia do pres. Zezinho.

Não há limite máximo para o número de participantes. No mínimo, quatro são necessários.

IMORTAL: O jornalista de programa Merdoval Pedreira disse que seria descabido ele perder a brincadeira, porque nunca se interessou por livros.

As regras são simples. Um dos participantes é o “Patrão”. Tudo se inicia com ele escolhendo outro participante para ser o “Editor”. Os demais participantes serão os “Jornalistas”.

Para começar a brincadeira, o “Editor” fala o nome e mostra um livro, seguido da frase “Vaca Amarela é a linha editorial: quem falar primeiro, sai da bosta do jornal”. Os demais participantes (“Jornalistas”) devem passar a falar sem parar, mas não podem falar do livro ou de seu autor, nem tocar em nenhum assunto que vagamente refira-se ao livro.

MUNDO ANIMAL: A biografia do pres. Zezinho tem inspirado outras brincadeiras nos jornais da UDN.

Quando o “Patrão” avaliar que um participante cometeu esse erro deverá dizer ao “Editor” a palavra “demita” seguida do nome do participante. Então, o “Editor” pegará o “Jornalista” pelo braço e o conduzirá para fora da sala, gritando: “você está despedido!”.

A brincadeira acaba quando não houver mais “Jornalistas” na sala ou quando o livro desmanchar-se no ar.

Mania

A brincadeira caiu nas graças de jornalistas de programa e dos progressistas empresários de comunicação. Com isso, tornou-se obrigatória sua prática em todas as redações das grandes empresas jornaloudenistas brasileiras.

QUADRILHA: Nas próximas festas juninas da UDN, a fogueira vai ser feita com um livro mentiroso.

Comentário da tia Carmela
O Zezinho sempre gostou dessa brincadeira de vaca amarela. Ele o Reinaldinho Cabeção gostavam muito de brincar disso com os moleques da turma deles. Mas só valia quando era o Zezinho quem falava “vaca amarela cagou na panela quem falar primeiro come toda a bosta dela”. Uma vez, o Zezinho falou “vaca amarela…” e o Reinaldinho Cabeção ficou três dias sem dizer uma palavra, nem em casa nem na escola. Por isso, em geral o Reinaldinho Cabeção sempre ganhava, porque ele obedecia tudo o que o Zezinho mandava ele fazer. Só uma vez se distraiu e falou na hora da vaca amarela. Nesse dia, o Zezinho não teve dúvida: pegou um prato de bosta de vaca e deu para o Reinaldinho Cabeção comer. O moleque já ia começar a comer, quando o Zezinho disse: tudo bem, não precisa comer a bosta. Ela vai ser mais útil como adubo…

Anúncios

9 Responses to Vaca Amarela Editorial: a nova mania da UDN

  1. A Sra.Tucanhede não disse nada, mas foi ela que peidou primeiro.

  2. […] O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, decidiu proibir a veiculação do remake do clássico filme  A Queda, inspirado em um livro que não existe. […]

  3. Doge Joseph Fernando Salafraia disse:

    Tia,
    a brincadeira de “VACA AMARELA” acabou!
    Acho que algum jornalista da folha perdeu.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1021526-em-livro-jornalista-acusa-tucanos-de-receber-propina.shtml

    Acho que agora a nova brincadeira será “STOP”

    Que tal nos brindar com um de seus textos sobre essa nova brincadeira da UDN?

  4. Kid Prado disse:

    Tia Cacá
    Aqui via meu manifesto de apoio aos jornalistas embuchados , que não podem mencionar o livro Privataria Tucana, também conhecido por Privatas do Caribe e Bi-rataria Tungana.
    A probição desta obra biográfica (não-autorizada) do nosso grande capitão Chirico e seu clã é o nosso motivo de indignação. Com certeza, vai prejudicar sua próxima ( terceira e última) candidatura ao comando desta nação ou navio se perdeu no Triangulo das Bermudas, ali perto dos paraísos fiscais. Engolir estes sapos (barbudos ou não) ditados pelos patrões midiáticos vai fazer mal a muitos produtores de programas de jazz, membros da ABL, diretores do cinema-novo e madames previsoras de futuros desatres econômicos.
    Tia, os jornalistas de programa, os cronistas de aluguel e os comentaristas de vida fácil estão espantados com esta brincadeira de vaca-amarela. Estão de bunda pra parede, do mesmo modo que aquele sujeito que tomou, por engano, um laxante extra-forte contra tosse e ficou sem poder tossir.

  5. Doge Joseph Fernando Salafraia disse:

    Tia,
    Acho que o Noblat já perdeu a brincadeira…
    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2011/12/11/o-livro-421113.asp

    Talvez o seu patrão não tenha deixado a regra clara. Também não vale falar por outras pessoas.

  6. Desta vez a fogueira vai ser bonita Tia Carmela. Dizem por aí, que o tal livro, foi comprado em lotes pelos amiguinhos do Zezinho, e desde a Santa Inquisição, não se avolumava tanta lenha como outrora também aconteceu com: O Espírito das Leis e Cartas Persas, de Montesquieu, Notre-Dame de Paris, de Victor Hugo, e A Origem das Espécies, de Charles Darwin.
    Mas para quem era Azul nº 45, este negócio de amarelar vai pegar mal, a Sra. concorda ?

  7. […] CLIQUE AQUI PARA LER O POST COMPLETO E ATUALIZAR O ENDEREÇO DO BLOG. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: