Preocupado com Haddad, Serra sabota seu próprio exame

O Presidente de Nascença registra, entre as virtudes que coleciona, a da comiseração.  Consternado ao ver o ministro da Educação, Fernando Haddad, sendo criticado pelo atraso do ENEM gerado pelo roubo de provas ocorrido em gráfica de propriedade do Mais Vendido Jornal Brasileiro, a Folha de São Paulo, o Mais Preparado dos Brasileiros resolveu agir.

Demonstrando um despreendimento à toda prova, o Grande Governador-Maquinista chamou seu secretário da Educação, Paulo Renato Gates de Souza, para promoverem uma ação de consolo ao ministro.  Segundo fontes do Palácio dos Bandeirantes, o governador Zezinho ordenou ao Novo Piaget uma medida de impacto que, ao mesmo tempo em que reduzisse o constrangimento do ministro, permitisse ao Presidente Inquestionável demonstrar toda a sua capacidade de liderança e superação de situações críticas: a não distribuição das provas do exame que avalia o nível de aprendizado dos estudantes da rede estadual paulista, o SARESP. Ao ouvir a idéia espetacular do Maior de Todos os Brasileiros Já Paridos, o secretário Paulo Renato Civita de Souza maravilhou-se:

– Genial, ó Grande Governador! Não entregamos as provas, com isso atrasamos o exame e quando a imprensa começar a falar anunciamos uma nova data em poucos dias e mostramos que  somos melhores que o Lula para resolver crises! E o Haddad ainda não terá conseguido fazer o ENEM! Somos solidários e ajudamos a enfraquecer a candidatura dele à sua sucessão quando o sr. já estiver no posto que sempre foi seu, a Presidência da República.

– Tudo isso sem precisar roubar as provas, basta escondê-las ou pedir para nossos amigos da gráfica atrasarem um pouquinho… Minha idéia é, de fato, uma grandiosidade!

Mas o Novo Paulo Freire não sabia da missa a metade, ainda. Porque é impossível prever todas as idéias estupendas do Eleito Por Deus para Redimir o Brasil.  Então o governador Zezinho anunciou o ponto alto de sua elocubração: a culpa de tudo seria de Lula e Dilma.  Prontamente o Hiper-Governador acionou sua comentarista econômica de estimação, sra. Miriam Cochonne, para noticiar que o governo federal estava demorando para liberar uma verba do PAC que seria pedida pelo governo do Estado em 2010. Esta verba seria usada na reforma de rodovias e, por isso, os caminhões com as provas estavam demorando tanto a chegar. A sra Miriam Cochonne logo preparou uma matéria especial em que mostrava que o PAC tinha taxa de implementação negativa e demorava por conta da incompetência da ministra Dilma e porque Lula não estudou econometria.

Os grandes educadores Diogo M. e Gilbertinho da Vila  também foram acionados. Diogo M. logo iniciou um movimento de indignação seletiva, com o apoio de João Dória Jr. Já Gilbertinho preparou um programa de rádio especial mostrando como os moradores da Vila Madalena organizaram um mutirão de voluntários de pais de alunos de escolas particulares para ajudar os alunos da rede pública a fazer suas provas, porque o envolvimento da família e da comunidade é fundamental.

Repercussão:

O Ministro Haddad preferiu não comentar o fato.

O Ex-secretário de educação, Gabriel Chalita, disse que em seu tempo de Secretário essas coisas não aconteciam porque ele havia escrito um livro “A Distribuição de Provas e a Pedagogia da Amizade” que foi distribuído para toda a rede estadual de ensino.

Em sua residência na Caverna do Ostracismo,  o venerado ex-presidente FHC telefonou para o governador Zezinho ao ser informado na nova estratégia do Mais Presidente dos Preparados.  Ofereceu seus préstimos para publicar um artigo em francês nos jornais paulistas apontando a falha no ENEM como um exemplo de subperonismo atrasado de um governo onde nunca ninguém leu Raymond Aron. Serra educadamente recusou a ajuda e sugeriu que FHC ocupasse seu tempo pensando na nova decoração da Caverna do Ostracismo.

Veja cobertura completa nos blogues NaMaria News e Cloaca News.

Comentário da Tia Carmela: Isso de esconder provas é com o Zezinho… Ele tinha um amiguinho chamado Robson que sempre ajudava ele nessas estrepulias. Uma vez, no tempo do grupo escolar, lá na Móoca, eles entraram sem ser vistos na sala dos professores e esconderam todas as provas de Educação Moral e Cívica no banheiro. Quando a professora foi pegar as provas para aplicar, não achou nada.  O Zezinho nunca gostou muito dessa matéria…

Anúncios

2 Responses to Preocupado com Haddad, Serra sabota seu próprio exame

  1. […] A nomeação apenas de pessoas com extraordinária capacidade de gestão, como é o caso de seu secretário de educação e serviços gráficos, Paulo R. Gates de Souza, cujo talento para a gestão só é comparável ao do do Mais Competente dos Gestores, conforme demonstrado na agilidade de procedimentos e no cumprimento de metas e prazos. […]

  2. NaMaria disse:

    Memorável Tia Carmela;
    Muito agradecida pela tão honrosa lembrança – quase tive um treco ao ver.
    Mas a senhora sabe que esse adiamento de tão singela provinha acarretou outra avalanche de confusões? Vou contar mais um pouquinho e a senhora vai arrepiar as pelugens de sua nuca. Passa lá em casa em breve. Abração pra todo mundo aí e beijão na senhora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: